Ministério Público Federal de São Paulo instaurou inquéritos para apurar denúncias de retenção sequestro de caminhoneiros em concentrações de protestos no Estado.

Segundo o procurador da República Diego Fajardo chegaram relatos nos últimos dias de caminhoneiros que foram coagidos a não deixarem o local das paralisações , forçados a permanecer por dias em meio aos manifestantes.

O procurador conta que, como estratégia, líderes grevistas coagiam transportadores de carga que passavam por ali a parar. Se levassem cargas sensíveis, como combustíveis, os caminhões eram estacionados em locais de difícil acesso da polícia, para evitar o cumprimento de resgates. Ele calcula que, nas concentrações, havia 80% de caminhoneiros coagidos e uma minoria de lideranças que os ameaçavam.

“No início era uma manifestação legítima, e provavelmente muitos dos que estão ali chegaram por vontade própria. O problema é que eles eram proibidos de sair”, afirma o procurador.

VEJA TAMBÉM:

http://suzanoagora.com/2018/05/31/ataque-a-baile-funk-na-zona-sul-de-sp-deixa-17-feridos/

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.