Após terem casas atingidas pela enxurrada, moradores de Mogi realizam protesto na Avenida Japão

Moradores de Mogi das Cruzes que tiveram as casas afetadas pela chuva realizaram um protesto na tarde desta segunda-feira (11). Eles queimaram pneus e madeira para interditar a Avenida Japão. O trânsito no local chegou a ficar bloqueado e o motorista precisou dar uma volta para chegar ao outro lado da via.

A interdição foi na altura do Oropó. A Polícia Militar foi chamada. Logo depois veio o Corpo de Bombeiros, que apagou o fogo e tirou o bloqueio do asfalto com enxadas e mangueira.

A empregada doméstica Cibele Silveira Gomes disse que saiu para trabalhar e deixou a casa alagada. “Eu cheguei no serviço e o meu patrão mandou eu voltar, porque eu tenho criança pequena”, diz.

A manifestação durou quase duas horas. Nenhum representante da PM quis gravar entrevista, mas o protesto foi controlado de forma pacífica.

“O que nós queremos é que o poder público, a prefeitura acionem o Daee, porque dizem eles que são responsáveis pelos rios e córregos da nossa região”, diz o técnico em hidráulica Alexandre Dias Corrêa.

Vários bairros dessa região encheram d’água na madrugada. Durante a tarde, no Jardim Layr dava para ver um córrego que corta a Avenida Japão bem cheio. Uma família passou o dia limpando os estragos.

“A porta empenou, o guarda-roupa estragou. A estante que comprou não tem nem um ano estragou também. O guarda-roupa do meu irmão e a cama nova da criança também estragou. Um prejuízo enorme”, diz o auxiliar administrativo Danilo da Silva Teixeira.

No Oropó várias casas alagadas também. Muita gente saiu de casa, outros nem conseguiram tirar o carro da garagem. A água chegou na porta de alguns. O auxiliar de limpeza José Silva Filho foi obrigado a sair de casa.

“Fui só querer pegar a geladeira e colocar para cima. Não deu tempo nem de pegar outras coisas. Foi tudo atingido pela água”, disse.

A Defesa Civil de Mogi das Cruzes disse que os bairros mostrados na reportagem fazem parte do monitoramento das equipes e que o trabalho foi reforçado por causa do grande volume de chuva.

A Prefeitura de Mogi colocou escolas das regiões mais atingidas, de prontidão para receber as famílias que precisem de abrigo. São as escolas municipais Vereadora Astréa Barral Nébias, em Jundiapeba e a Florisa Faustino Pinto, no Oropó.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta