© Divulgação

A Polícia Civil do Rio prendeu, na manhã desta sexta-feira (12), dois policiais militares reformados suspeitos de participarem do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL): o sargento Ronnie Lessa, de 48 anos, que teria atirado na vítima, e o PM Élcio Vieira de Queiroz, de 36 anos, que estaria dirigindo o veículo no momento em que os tiros foram disparados.

O primeiro, de acordo com informações do portal G1, já chegou a ser homenageado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), há mais de 20 anos.

O autor da proposta foi o então deputado Pedro Fernandes Filho, já falecido. O neto dele, Pedro Fernandes Neto (PDT), atualmente é secretário de educação do governador Wilson Witzel (PSC).

“Sem nenhum constrangimento posso afirmar que o referido militar é digno desta homenagem por honrar, permanentemente, com suas posturas, atitudes e desempenho profissional, a sua condição humana e de militar discreto mas eficaz. Constituindo-se, deste modo, em brilhante exemplo àqueles com quem convive e com àqueles que passam a conhecê-lo”, justificou o deputado à época.

Deixe uma resposta