Polícia pede quebra de sigilo de contas após sumiço de R$ 317 mil da Câmara de Jacareí

0
415

A Polícia Civil pediu à Justiça a quebra do sigilo das contas que, segundo o banco informou, receberam remessas da quantia de R$ 317 mil que sumiu da Câmara de Jacareí em setembro de 2018. Seis contas vão ser alvo do rastreamento. A suspeita é que o legislativo foi vítima de estelionatários.

O dinheiro desapareceu da conta da Câmara por meio de sete transferências bancárias feitas virtualmente. A polícia já descartou a ação de hackers.

A polícia não deu detalhes da investigação, mas adiantou contas rastreadas não estão registradas em agências de Jacareí.

O valor retirado da Câmara ocorreu em sete transferências feitas sequencialmente. A quantia seria usada para o pagamento mensal dos cerca de 100 servidores.

Contas

Na última semana a Polícia Civil recebeu do banco os números das contas de destino do dinheiro e solicitaram à Justiça a quebra de sigilo delas, para que sejam intimadas as pessoas vinculadas

“Acreditamos que a Câmara foi alvo de estelionato e agora estamos aguardando essa decisão da Justiça para identificar os envolvidos. Com isso, também vamos poder saber se houve dolo da funcionária que fez as transferências ou se ela de fato caiu em um golpe”, disse o delegado Talis do Prado, que apura o caso.

Segundo a investigação, todas as transferências foram feitas pela web usando o token, que é o sistema de segurança fornecido pelo banco aos clientes, que tem que validar as transações – o bando defende que essa manobra de segurança foi feita regularmente.

A apuração concluiu que a pessoa que fez as movimentações bancárias tinha acesso aos dados da conta, já que solicitou com as transferências o valor total que havia na conta.

Câmara

A Câmara abriu uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o caso. Na quinta-feira (21) os vereadores se reuniram a primeira reunião desta comissão para traçar a estratégia de apuração do caso.

No processo, será elaborado um relatório com as apurações internas e da polícia. Fazem parte de CPI os vereadores Paulinho dos Condutores (PR), pelo relator Fernando da Ótica Original (PSC) e pelo membro, vereador Paulinho do Esporte (PSD).

Banco

O banco Santander, que atende a Câmara de Jacareí, foi procurado e não comentou o assunto até a publicação desta reportagem.

Deixe uma resposta