Entidades sindicais e movimentos populares realizam na comemoração deste 1º de Maio, Dia do Trabalhador, um Ato contra a Reforma da Previdência em Ferraz de Vasconcelos, a partir das 10 horas, no Campo do Juventus (próximo à Estação Gianetti da CPTM).

Além de protestos contra as mudanças na Previdência Social que vão prejudicar os trabalhadores e aposentados, haverá a apresentação de atrações musicais e sorteio de brindes. Um Abaixo-Assinado circulará entre os presentes com objetivo de colher assinaturas para combater a reforma.

Para José Augustinho dos Santos, o Augusto do Jornal, presidente do Sindelevadores SP (Sindicato dos Empregados nas Empresas de Assistência Técnica de Elevadores do Estado), “os brasileiros não podem ser sacrificados para favorecer os banqueiros, verdadeiros especuladores que estão junto com o governo Bolsonaro nesse projeto de acabar com a Previdência Pública e priorizar a venda de planos de Previdência Privada”.

Na opinião de Paulo Teixeira Saboia, presidente estadual da CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil), “a solução não é reduzir o maior programa de distribuição de renda do mundo e sim focar no crescimento do mercado interno na qualidade do emprego e em melhores salários com ‘registro em carteira’. Isso fará uma Previdência forte e um Brasil desenvolvido”.

Especialistas também criticam o projeto de Reforma da Previdência do presidente Jair Bolsonaro, atualmente em discussão na Comissão Especial da Câmara. De acordo com Denise Gentil, economista e professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), “são regras muito duras e que atingem em cheio 30 milhões de brasileiros que dependem diretamente desses benefícios para sua sobrevivência e de sua família”.

O Ato contra a Reforma da Previdência em Ferraz é uma realização conjunta de Sindelevadores SP, CGTB, Olé Sports, IAS Jd. Castelo Branco e Associação Garotos do São Fernando.

Deixe uma resposta