Reforma da Previdência e direitos da família são temas do curso Promotoras Legais

0
333

Mês de abril ainda contou com palestras sobre Libras e a influência do mundo virtual nas relações pessoais

O segundo mês de atividades do curso Promotoras Legais Populares (PLPs) teve quatro palestras e ações extras, como a participação das coordenadoras no evento “Suzano Pela Paz” e a definição de camisetas e padrão de identidade. Os destaques do período foram os debates acerca da reforma da Previdência Social e dos direitos da família, todos no anfiteatro Orlando Digenova, no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi.

Durante o primeiro encontro do mês, as participantes receberam a psicóloga Andréa Tarazona Gonçalves para um bate-papo sobre a influência do mundo virtual nas relações pessoais. Na oportunidade, ela falou da ascensão do uso da Internet em casa e do impacto deste hábito aliado às rotinas das famílias. O tema vem à tona, sobretudo, neste período em que o município ainda supera o luto após o ataque na Escola Estadual Professor Raul Brasil, que teriasido planejado por meio da rede, em meados de março.

Já no segundo evento, as promotoras debateram os reflexos da reforma da Previdência Social com a advogada e mestre em direito previdenciário Luciana Moraes de Farias. A palestra destacou o conceito de seguridade social, os serviços, os auxílios, os principais pontos da proposta e a importância de um planejamento.

No encontro do dia 23 de abril houve a palestra “Os mitos sobre a Libras constituindo as relações de poder na comunidade surda”, reunindo pessoas com deficiência auditiva e público ouvinte para falar sobre a trajetória da lei federal nº 10.436, direitos, inclusão e união em sociedade. O diálogo marcou os 17 anos da lei que reconhece a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como meio legal de comunicação e expressão. A reunião foi ministrada pelosprofessores Ricardo Ferreira, do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), e Elias Paulino, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Toda a palestra também foi mediada por intérpretes.

A última atividade ocorreu com a advogada Maria das Graças Pereira de Melo, que encerrou abril expondo os direitos das mulheres e das famílias, como pensão alimentícia, deveres no casamento, divórcios, tipos de separação, união estável, investigação de paternidade, guarda dos filhos e trâmites de adoção.

Para o mês de maio, estão previstos debates sobre a mulher no mercado de trabalho, o combate à violência sexual contra crianças, o direito ao aborto legal, os direitos das mulheres e as convenções internacionais e a violência obstétrica.

Crédito das fotos: Wanderley Costa/Secop Suzano

Deixe uma resposta