Diversas propostas foram apresentadas durante audiência pública realizada na tarde de hoje (8) na Câmara de Suzano, para serem incorporadas ao projeto de lei que busca instituir no Calendário Oficial do município a Semana Professor Raul Brasil. A propositura é de autoria do vereador Edirlei Junior Reis (PSD), o professor Edirlei, que preside a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Turismo da Casa de Leis e conduziu a sessão.

“A audiência é para ouvir os diversos entendimentos. Quanto mais se discute e se reflete sobre o tema, mais diretrizes teremos”, afirmou ele, que ainda informo que os principais apontamentos da sessão serão encaminhados ao prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR), e ao governador de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB).

Também participaram da audiência os vereadores André Marcos Abreu (DEM), o Pacola; Gerice Lione (PR), a esposa do Prefeito da Academia; Leandro Alves de Faria (PR), o Leandrinho; Lisandro Frederico (PSD); Marcos Antonio dos Santos (PTB), o Maizena Dunga Vans; e Neusa dos Santos Oliveira (PSD), a Neusa do Fadul.

O secretário municipal de Educação, Leandro Bassini, disse na audiência que é preciso criar uma política para a juventude, tanto no município como no Estado, em que os jovens sejam protagonistas. “A melhor medida de segurança é pensar um pouco além do aparato técnico. É refletir sobre o vínculo que está sendo criado, ter fóruns de debates para saber o que os jovens pensam. Atualmente esses caminhos estão bloqueados e precisamos desbloqueá-los”, afirmou.

O professor Marco Aurélio Pinheiro Maida também falou da importância de os jovens serem protagonistas na sociedade. “Hoje as escolas são estruturas fechadas, onde ninguém mais tem voz e o sujeito desaparece”, disse.

O presidente da seção de Suzano da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Wellington da Silva Santos, pontuou a importância de inserir os jovens no debate: “Os estudantes são os maiores interessados. Precisamos que eles também se manifestem e auxiliem a encontrar a solução comum”, declarou.

A advogada Edjane Maria da Silva Sutero, presidente da Comissão OAB vai à Escola, anunciou na audiência a reativação do projeto. “Nossa intenção como entidade de classe é colaborar para promover discussões, por exemplo, sobre segurança escolar, legislação, bullying e violência doméstica”, afirmou.

O vice-presidente do Conselho Municipal de Educação, Alexandre Nigre da Silva, destacou a necessidade de investimentos na Educação: “Segurança pública não se faz só com coração e coragem, educação não se faz só com amor. Educação de qualidade se faz com investimentos”, ressaltou.

A dirigente regional de ensino, Vera Lúcia Miranda, falou da importância da gestão democrática da escola, com a participação da família, dos professores, dos funcionários e dos alunos. “Precisamos humanizar o ser humano, e não robotizá-lo”, declarou.

O comandante do 32º Batalhão da Polícia Militar, major Roberto Caruso, disse na audiência que todos devemos tirar uma lição da tragédia ocorrida na Escola Estadual Professor Raul Brasil: “Partindo da premissa da Constituição Federal de que segurança pública é dever do estado, direito e responsabilidade de todos, isso é fundamental”. Ele sugeriu que a Semana Professor Raul Brasil tenha entre suas ações fazer um simulado de evacuação nas escolas.

O secretário de Segurança Cidadã, Jefferson Ferreira dos Santos, o Prefeito da Academia, destacou as ações que estão sendo realizadas no município para garantir a segurança pública, como o trabalho em conjunto com a Polícia Militar e a Central de Segurança Integrada, que será inaugurada em breve.

Também estiveram no Plenário da Câmara durante a audiência o representante da Faculdade Unida de Suzano (Unisuz), Joaquim Guimarães; o coordenador pedagógico do Senai de Suzano, Luciano Santana; o assistente técnico administrativo da Escola Técnica Estadual (Etec), Ricardo Aldrin; e representante da Secretaria de Governo.

O público presente também pode fazer perguntas e esclarecer dúvidas por escrito durante a audiência.

Deixe uma resposta