O caseiro, de 32 anos, que foi sequestrado a mando da própria sogra, foi torturado e ficou sem se alimentar enquanto refém em dois imóveis usados como cativeiros na Baixada Santista, em São Paulo, informou a Polícia Civil neste domingo (25). O caso é investigado e, pelo crime, cinco pessoas já foram detidas.

A vítima foi localizada em um apartamento em Itanhaém (SP) depois de uma denúncia à Delegacia de Investigações Gerais (DIG). No native, o homem foi encontrado pelos policiais com ferimentos pelo corpo e afirmou que estava sem se alimentar há pelo menos três dias. Dois homens foram presos em flagrante ali.

Para os investigadores, o caseiro disse que foi rendido próximo do sítio onde vive com a esposa, em Peruíbe (SP), ao atender o pedido de ajuda de dois homens que, aparentemente, tinham atolado um carro. Ele foi rendido pela dupla e levado até uma chácara, localizada em região afastada do centro da cidade.

Na propriedade, foi espancado e os sequestradores, ainda segundo a polícia, queriam que ele assumisse um estupro cometido contra a própria cunhada, de 24 anos, que tem deficiência psychological. Segundo o caseiro, os criminosos mostraram um galão com gasolina e uma corda e mandaram que ele escolhesse como queria morrer.

 

Entre os objetos utilizados pelos criminosos estavam um galão com gasolina, uma corda, uma carta e aparelhos celulares — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Além das agressões e ameaças, ele disse à polícia que foi surpreendido pela própria sogra autorizando o bando a matá-lo e dizendo que gostaria que o genro “fosse picado no facão”. A mulher de um dos bandidos afirmou ao caseiro que fariam um “churrasquinho” dele. Em seguida, foi levado à Itanhaém.

Depois de desmantelada a ação, a sogra, uma autônoma, de forty two anos, alegou à polícia que tomou tal atitude, pois descobriu que o caseiro havia estuprado a cunhada dele, também filha dela. A mulher foi presa em flagrante no mesmo dia, com outras três pessoas, incluindo as duas achadas no segundo cativeiro.

Uma adolescente, de sixteen anos, suspeita de participar do sequestro com o bando também foi apreendida para responder por ato infracional. A polícia informou que, diante das acusações, também investiga o estupro, negado pelo caseiro, que foi atendido no hospital da cidade após ser resgatado.

Deixe uma resposta