Funcionária pública do litoral de SP relata caso de gordofobia nas redes sociais — Foto: Reprodução/Facebook

 

O caso aconteceu na última terça-feira (4), após Elizângela publicar uma foto em um grupo no Facebook. “Achei a foto bonita e decidi postar. Pouco tempo depois, uma pessoa apareceu na publicação e comentou que eu era assustadora. Fiquei indignada, chamei a pessoa e perguntei o porquê dela estar fazendo aquilo. Ela começou a me xingar ainda mais”.

“Pelo teor das palavras, acredito que seja alguma conta falsa ou talvez a pessoa nem seja brasileira. A gente acaba achando que é um espaço seguro para compartilhar e acaba acontecendo uma coisas dessas. É triste, mas é algo com que as pessoas que tem sobrepeso ou são obesas têm que conviver diariamente”, desabafa Elizângela.

Após questionar o agressor, Elizângela voltou a sofrer as ofensas. “Você é nojento. Você tem que fazer uma dieta. Então veja você. Você é como uma vaca (sic)”, escreveu o agressor. A funcionária pública afirma que denunciou o perfil à rede social e fez um relato em seu perfil pessoal. “Existem pessoas que deveriam permanecer em jaulas, pois não merecem viver em sociedade e são providas do mais nojento sentimento de preconceito. Já sofri muito com esse tipo de gente. Hoje tenho pena ou nojo (sic)”, afirma em seu depoimento.

“Apesar das dificuldades diárias que enfrento, é a primeira vez que sofro esse tipo de ataque na internet. Caso isso tivesse ocorrido há uns 10, 15 anos atrás, eu teria ficado desesperada, não teria nem palavras para responder a essa pessoa. Mas hoje eu vejo isso de uma forma diferente. Tenho apenas nojo desse tipo de pessoa. Sou uma pessoa empoderada, mas às vezes fica difícil aguentar”, relata.

Além de denunciar o caso ao Facebook, Elizângela afirma que também foi orientada a registrar o caso na polícia. “Uma amiga comentou que eu deveria fazer um boletim de ocorrência. Decidi fazer isso, mas a gente desanima porque sabe que dificilmente acontece alguma coisa com essas pessoas que se escondem atrás de redes sociais”.

Deixe uma resposta