A Polícia Civil de São Paulo prendeu, nesta segunda-feira, dia 1º, dez pessoas por furto de combustíveis na Grande São Paulo. Entre os presos estão cinco donos de postos de combustíveis e dois funcionários de uma empresa terceirizada da Transpetro (subsidiária da Petrobras), que passavam as informações sobre a localização dos dutos e os melhores locais para que a quadrilha fizesse a perfuração.

Na Operação Trupanon, mais de 130 policiais civis participaram do cumprimento de 45 mandados de busca e 14 de prisão temporária. Foram apreendidos computadores, veículos, pendrives, celulares, tablets, documentos de postos e uma quantia em dinheiro que ainda será contabilizada.

O combustível roubado ia para pelo menos nove postos de combustível nas cidades de Guarulhos, Mogi das Cruzes, São Paulo e Santo André, que foram objetos de busca e estão sendo investigados. O combustível também era ainda adulterado pela quadrilha e o querosene de aviação vendido no mercado clandestino.

Por meio de nota, a Transpetro informou que os dois funcionários detidos na operação não fazem parte dos quadros da companhia. “Trata-se de um prestador de serviço de uma empresa contratada pela companhia e de um ex-prestador cujo contrato foi encerrado em março”, esclareceu. A empresa disse ainda que é “vítima das ações criminosas de furto de óleo e derivados” e que está colaborando com as investigações das autoridades.

Deixe uma resposta