O vereador Rogerio Castilho (PSB) completou 100 dias do seu primeiro mandato atuando em parceria com a população. O parlamentar buscou esta linha de trabalho como forma de atuar pelo bem comum: “São muitos desafios, mas estou trabalhando e buscando as melhores soluções mesmo durante o cenário atual e as graves consequências que esta pandemia vem causando à nossa população”, disse. “Teremos uma caminhada árdua, mas com a união de todos, venceremos estes obstáculos, sempre atento às necessidades dos suzanenses.”

Castilho disse que, dentro desta estratégia de trabalho, a população o auxilia na fiscalização e na detecção das necessidades dos moradores dos bairros que mais necessitam de ajuda. “Trabalhamos para resolver os problemas, aumentando o conforto e o prazer de morar nestas localidades”. afirmou.

Dentre os projetos apresentados pelo vereador, está o que institui no âmbito do município de Suzano, o Mês da Conscientização da Doença de Parkinson, denominado de “Tulipa Vermelha”. Ele também apresentou ao Executivo diversas indicações de estudos para melhorias na Vila Ipelândia e outros bairros do Distrito de Palmeiras, como a implantação de creches comunitárias, base da Guarda Civil Municipal, academias ao ar livre, pistas de caminhada, ciclovia, feira vespertina e feira noturna no Baruel.

Castilho também solicitou serviços de pavimentação e recapeamento asfáltico para o Parque Alvorada e Jardim Amazonas. Pediu nivelamento e cascalhamento para diversos bairros de Palmeiras, implantação ou recolocação de abrigo de ônibus naquela região da cidade e a inclusão de bairros no Plano Municipal de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário.

“Minha avaliação é que estou caminhando na direção certa, evoluindo na minha concepção de fazer política, de mostrar os problemas dos bairros e buscar providências junto aos órgãos competentes, além da função de fiscalizar o Executivo e o próprio Legislativo”, destacou. “Há muito que fazer pela cidade de Suzano, principalmente no que diz respeito à saúde, educação, segurança pública e mobilidade urbana, mas estamos conscientes da responsabilidade e da missão que temos como agentes públicos e representantes de nossa sociedade.”