Saúde volta a ser criticada em sessão da Câmara de Suzano

0
31

A Secretaria de Saúde voltou a ser criticada na sessão ordinária da tarde desta quarta-feira (1) na Câmara de Suzano. Problemas no Pronto-socorro Municipal e no Pronto-Atendimento de Palmeiras voltaram a ser tema dos comentários, além de questionamentos sobre o Programa Mais Médicos, atendimento de ginecologistas na rede pública.

 

O vereador Leandro Alves de Faria (PL), o Leandrinho, disse que o Programa Mais Médicos, subsidiado pelo governo federal, está sem seis profissionais na cidade, afetando os atendimentos em unidades de saúde. “Vou solicitar amanhã (2) que o secretário de Saúde, Pedro Ishi, explique por que esses médicos não estão sendo contratados”, disse ele. “Como é que não tem dinheiro para fazer a contratação, se só neste ano aprovamos mais de R$ 30 milhões em remanejamento orçamentário para a Saúde e uma parte do pagamento é feita pelo governo federal?”.

 

Leandrinho também opinou que a vacinação contra o novo coronavírus deveria começar a ser realizada nas unidades básicas de saúde (UBSs), para que as pessoas não tenham que se deslocar até a Arena Multiuso, no Parque Municipal Max Feffer. E informou que recebeu do secretário de Saúde um relatório sobre onde trabalham os médicos ginecologistas, quais dias da semana e horários atendem. “Mas não obtive a informação sobre como está sendo feita a marcação de consultas nas UBSs. Vou solicitar novamente ao secretário”, disse ele, que também afirmou que fará visitas às unidades para confirmar se os médicos estão trabalhando.

 

O vereador Rogerio Castilho (PSB) voltou a criticar o trabalho realizado no PA de Palmeiras. Segundo ele, enquanto atuava como gerente da unidade, a unidade conquistou um aparelho de colposcopia com biópsia, e o exame era feito por um ginecologista aos sábados. “Agora tiraram o médico da unidade. Se ele estava somando e o serviço funcionava, por que tiraram”, questionou.

 

O vereador Antonio Rafael Morgado (PDT), o professor Toninho Morgado, também disse que tem ouvido muita reclamação de atendimento no PA de Palmeiras. “Cabe uma diligência nossa para verificar o que está acontecendo, principalmente no período noturno, que tenho maior número de queixas”, afirmou.

 

Já a parlamentar Gerice Lione (PL), a esposa do Prefeito da Academia, disse que como presidente da Comissão de Saúde da Câmara buscou informações sobre a superlotação do Pronto-socorro Municipal, devido às reclamações feitas na sessão da semana passada. Ela apresentou os dados que recebeu do administrativo do local e informou que o contrato do “covidário”, local que atende casos de covid-19 no município, foi prorrogado até o final deste mês. Ela também convidou os parlamentares para irem ao PS. “Temos que tirar nossas conclusões”, disse ela, que também afirmou que as UBSs continuam com falta de médico e de medicamento.

 

O vereador Denis Claudio da Silva (DEM), o filho do Pedrinho do Mercado, que havia apontado os problemas no PS na semana passada, reforçou que os funcionários estão passando por dificuldade em atender os pacientes. “Passamos por maus bocados nos últimos 15 dias no pronto-socorro”, disse ele, que recomendou que a Comissão de Saúde peça cópia dos prontuários de atendimento realizados no local em agosto.

 

Pauta

Os vereadores aprovaram na sessão três moções, dois projetos de lei e um requerimento. Uma das moções foi de aplauso ao Setembro Amarelo, campanha brasileira de prevenção ao suicídio realizada anualmente, de autoria do vereador Marcel Pereira da Silva (PTB), o Marcel da ONG. “Nossopaís está entre os dez em que mais ocorre suicídio”, disse ele durante a Tribuna Livre. Ele fez um apelo para que pessoas que sofram de depressão ou façam uso excessivo de álcool ou drogas, que são fatores que mais desencadeiam suicídio, procurem ajuda imediatamente. “Às vezes a pessoa está do nosso lado, não enxergamos e pode ser tarde demais”, atestou ele, destacando que a Prefeitura possui programa para a prevenção do suicídio. “A gente tem que lutar pelo próximo.”

 

Outra moção aprovada foi de apoio ao projeto de decreto legislativo em trâmite na Assembleia Legislativa de São Paulo, de autoria do deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL), que tem o objetivo de suspender os efeitos do decreto estadual 65.021/2020, que criou a contribuição para aposentados e pensionistas do Estado. A propositura é de autoria do vereador professor Toninho Morgado. “Estou conversando com todas as câmaras da região para que chegue ao governador. Depois de anos não é justo os profissionais serem taxados nas folhas de pagamento com contribuição previdenciária que já pagaram a vida toda”, ressaltou.

 

E a terceira moção, de autoria da Comissão de Política Social, parabeniza a delegada Silmara Marcelino; a presidente da Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Suzano, Maria Margarida Mesquita; a comandante da Guarda Civil Municipal (GCM) Rosemary Ferreira Caxito; a coordenadora da Patrulha Maria da Penha da GCM, Jaqueline de Lima Ferreira, pelo excelente trabalho desenvolvido na Prevenção e Combate à Violência contra a mulher em Suzano. O presidente da comissão, vereador José Oliveira Lima (PDT), o Zé Oliveira, disse que a intenção foi “agradecer e homenagear essas pessoas que fazem parte do dia a dia da nossa cidade pelo excelente trabalho desenvolvido”.

 

Os vereadores de Suzano aprovaram o projeto de lei que obriga a instalação de circuito interno de filmagem em pet shops, de autoria do vereador Lazario Nazaré Pedro (Republicanos), o Lázaro de Jesus. “Esse projeto não é contra donos de pet shops, é pelos animais. Quem tem sabe o carinho e a proteção que eles nos dão”, explicou o parlamentar.

 

Também foi votado favoravelmente pela Casa de Leis um projeto de lei do Executivo que autoriza o município a celebrar convênio com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para instalação e funcionamento do Anexo de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher em Suzano.

 

Já a vereadora Gerice Lione teve aprovado um requerimento que pede ao prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL) que verifique a possibilidade de instituir a láurea de mérito pessoal para a Guarda Civil Municipal.

 

Estiveram no Plenário da Câmara para acompanhar a sessão o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, Wlamir Motta Campos; o vice-presidente da Federação Paulista de Atletismo, Rogério Bispo; e o atleta olímpico suzanense Jefferson Sabino.

Deixe uma resposta