Saúde de Suzano anuncia criação de CAPS 24 horas

1
46

Equipamento voltado à Saúde Mental deve ser lançado até 2024

O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, anunciou nesta quinta-feira (30/09) a criação de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) com funcionamento 24 horas para atendimento integral às demandas de Saúde Mental no município. O equipamento deverá ser projetado com previsão de lançamento para até 2024. A novidade foi anunciada durante o primeiro encontro de fomento à nova política municipal de Prevenção ao Suicídio, sediado no Teatro Municipal Armando de Ré.

Na oportunidade, Ashiuchi reforçou que a intenção é de que a cidade possa oferecer pleno suporte à saúde mental, ampliando o trabalho desempenhado pela Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do município.

“Desde 2019 viemos apostando nesse fortalecimento da Saúde Mental em Suzano, que foi duramente penalizada com o impacto da tragédia na Escola Estadual Professor Raul Brasil. De lá para cá, intensificamos os trabalhos com a contratação de mais psicólogos e atuamos fortemente em parceria com a Educação, que recentemente foi premiada com o projeto ‘Prevenir a Violência Escolar’. Agora, queremos dar mais um salto na saúde com esse novo equipamento”, disse. 

De acordo com o prefeito, o projeto vem para fazer a diferença na Saúde suzanense, que também busca a implantação de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). “Estivemos em Brasília para viabilizar uma série de melhorias na Saúde. A entrega desse CAPS 24 horas não é só uma meta, mas também a coroação desse trabalho exemplar da RAPS para colocar Suzano como referência em Saúde Mental em todo o Estado de São Paulo”, destacou.

O anúncio feito por Ashiuchi ocorreu durante o primeiro encontro intersetorial de fomento à nova política municipal de Prevenção ao Suicídio. A ação faz parte das atividades da campanha “Setembro Amarelo”, que alcançou 20 mil suzanenses nas unidades de saúde ao longo do mês.

A expectativa é de que a temática seja mensalmente trabalhada no município, com a articulação de uma Rede de Apoio à Pessoa em Risco formada por agentes interlocutores, como líderes religiosos e comunitários, profissionais da Segurança, Educação e Assistência Social, Conselhos Municipais, Associações, Centro de Valorização da Vida (CVV), Centro de Referência e Apoio à Vítima (Cravi) e outros grupos de interesse. 

Segundo o secretário municipal de Saúde, Pedro Ishi, o objetivo é uma formação continuada sobre o assunto, em uma rede de apoio e prevenção cada vez mais ampliada em Suzano. “O suicídio não é um fato isolado, é uma problemática que precisa ser debatida e prevenida em sociedade. Por isso, é necessário enxergar que a responsabilidade sobre a vida é de todos nós e, a partir dessa ampla rede de apoio, será possível construir novas propostas e estratégias de políticas públicas de valorização à vida. Essa é a nossa missão”, informou.

Já a coordenadora da RAPS, a psicóloga Dulce Ramos, explicou que o projeto inédito acontece a longo prazo, garantindo orientações sobre diferentes temas. Ainda neste ano, o suicídio será abordado no município com as capacitações sobre “Acolhimento e fortalecimento de vínculo como ferramenta de prevenção” e “Intervenção em situação de risco”.

Já no primeiro semestre de 2022 estão programados encontros sobre “Autolesão e automutilação sem ideação suicida”, “Práticas integrativas e complementares e autocuidado”, “Suicídios na Infância e Adolescência”, “Pessoas com doenças degenerativas e autoimunes” e “Público LGBTQIA+”. Entre os meses de agosto e setembro a previsão é de que ainda sejam abordados os temas “Trabalhando com Famílias” e “Comportamento suicida em idoso”.

Cerimônia

O evento foi prestigiado pelos secretários Geraldo Garippo (Assistência e Desenvolvimento Social) e Leandro Bassini (Educação); pelos vereadores Artur Takayama, Rogério Castilho e Marcos Antonio dos Santos, o Maizena. Além disso, também compareceu o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Suzano), Wellington da Silva Santos; o capitão do 2º subgrupamento do Corpo de Bombeiros, Lucas Miatello; a sargento Patrícia Santos, do 32º Batalhão da Polícia Militar Metropolitana (32º BPM/M); a comandante da Guarda Civil Municipal (GCM) de Suzano, Rosemary Caxito; a coordenadora da Patrulha Maria da Penha, Jaqueline Lima; a professora Poliana Lima, da Faculdade Piaget; e o diretor do Instituto Federal São Paulo- campus Suzano, Eugênio Zampini.

O encontro foi liderado pela enfermeira Isabele Trindade, pós-graduada em suicidologia, contando ainda com a participação da diretora de Atenção Básica, Flávia Verdugo, e das coordenadoras Magna Damasceno (Rede de Atenção às Pessoas em Situação de Violência Doméstica e/ou Sexual) e Ariadne Cirillo (RAPS).

Crédito das fotos: Maurício Sordilli/Secop Suzano 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta