Meio Ambiente resgata arara no bairro Sítio Paredão

0
58
blank

 

    Após uma denúncia anônima, a Secretaria de Meio Ambiente, Verde e Proteção Animal, com o apoio da Guarda Ambiental e de agentes da Guarda Civil Municipal (GCM), resgatou uma Arara-canindé, espécie típica do cerrado brasileiro, no bairro Sítio Paredão, em Ferraz de Vasconcelos. A ação aconteceu na tarde da última quinta-feira (11).

            A comitiva se dirigiu até o local da denúncia e constatou que o animal silvestre estava mantido em forma de cativeiro, mas com bons tratos. Os moradores em questão não conseguiram comprovar via documentação a posse da ave e assim, a arara foi resgatada e conduzida até o Parque Municipal Nosso Recanto para consulta veterinária, exames e período de quarentena.

            Muito apreciada por criadores autorizados pelo IBAMA e/ou povos indígenas, a Arara-canindé ou Arara-azul-e-amarela pesa cerca de 1,1 quilograma e chegam a medir até noventa centímetros de comprimento. Muito inteligentes, elas conseguem emitir vocalizações mais anasaladas e musicais tendo escutado apenas uma única vez. Em cativeiro, essa ave consegue viver mais de 70 anos.

            O titular da pasta, Claudio Squizato, comenta sobre o resgate da ave. “Recebemos uma denúncia anônima de uma arara criada em cativeiro e fomos averiguar essa situação. De fato, o animal estava sob forma de cativeiro ilegal, uma vez que a família não apresentou alguma autorização dos órgãos competentes. Vale ressaltar que manter animais silvestres sem autorização ou licença da autoridade competente é crime ambiental e pode acarretar em detenção de seis meses a um ano, e multa”, disse o secretário.

            O animal está sendo monitorado a pedido médico e ficará em quarentena nos próximos dias no Parque Municipal Nosso Recanto até decisão de órgãos competentes decidirem qual local a ave poderá ficar, uma vez que ela não consegue mais ser devolvida para a natureza, por causa do cativeiro.

Deixe uma resposta