Ano foi marcado por mostras virtuais que levaram arte gratuita à população e também geraram renda aos artistas locais

 

Após um ano repleto de desafios, a Secretaria de Cultura de Suzano destacou os avanços e as conquistas em 2021. Nos últimos 12 meses, a administração municipal se empenhou em promover novas políticas públicas de incentivo ao setor, prestando apoio aos profissionais e estimulando o fortalecimento de diversos segmentos. O ano também foi marcado pela revitalização de espaços culturais públicos e pela abertura do Casarão da Memória, que celebra a trajetória do município e os capítulos históricos que o levaram a se consolidar como uma potência regional.

 

Para se adaptar às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a pasta investiu na ampliação de atividades virtuais, garantindo a segurança de todos e possibilitando o acesso do público aos conteúdos de forma gratuita. A principal destas medidas foi a mostra “Cultura é Atitude”, que beneficiou mais de cem artistas com projetos das linguagens de audiovisual, dança, circo, literatura, teatro, música e artes plásticas. Com a temática “Em tempos de isolamento e violência: o amor”, as produções foram veiculadas nas mídias digitais da prefeitura e geraram renda aos envolvidos.

 

As mostras virtuais não pararam por aí. Crianças e adolescentes de toda a cidade puderam participar neste ano do Festival Suzanense da Canção (Fesc) Jovem, com a apresentações de músicas autorais e votação popular. As atrações musicais também estiveram presentes em lives e na própria campanha de imunização contra a Covid-19, com música ao vivo para levar conforto e entretenimento àqueles que foram se vacinar. Com isso, os três polos da cidade receberam 50 músicos ao longo de cinco meses.

Já nas artes plásticas, a gestão municipal promoveu quatro exposições gratuitas com temas diversos, sendo três delas virtuais. Em paralelo, houve a continuidade do projeto “Arte Pública”, que leva novas intervenções artísticas a espaços públicos, revitalizando estruturas da cidade e valorizando os artistas locais. Neste ano, foram mais quatro quadros feitos em pontos de grande movimentação de pessoas, como forma de democratizar o acesso da população à arte.

 

Também houve estímulo aos setores de circo e dança, com atrações do projeto Cena Circense de Suzano e da Mostra e Conferência de Dança, além de lives, palestras e oficinas online. As ações mobilizaram centenas de profissionais. As redes sociais foram outro destaque da Cultura, com a divulgação semanal de conteúdos, dicas e vídeos a respeito de várias linguagens, em especial a literatura e o teatro.

 

Público

Conforme os meses se passaram e a pandemia foi estabilizada, o retorno gradual do público aos espaços culturais pôde finalmente se tornar uma realidade. O Casarão da Memória Antônio Marques Figueira foi inaugurado neste contexto, convidando os suzanenses a conhecerem as raízes do município e o extenso acervo histórico presente no espaço, que remete aos séculos de progresso de Suzano. As visitas guiadas também envolvem uma peça teatral especial contando a história da cidade. A iniciativa teve roteiro e produção da pasta de Cultura e interpretação de artistas locais.

 

Em outubro, a mostra teatral Mulheres (In) Cena marcou a reabertura do Teatro Municipal Dr. Armando de Ré, com capacidade máxima de lotação reduzida. Foram três monólogos apresentados por atrizes suzanenses. Outro espaço que voltou a abrir as portas foi o Cineteatro Wilma Bentivegna. Por meio de parceria com o Museu da Imagem e do Som (MIS), houve o retorno da exibição gratuita de filmes para toda a população. As atrações em cartaz em novembro e dezembro foram voltadas para o público infantil, com sucessos mundiais de bilheteria.

 

Para viabilizar novas ações neste contexto de retomada das atividades presenciais para 2022, a administração municipal também investiu na reforma, adequação e manutenção dos equipamentos culturais espalhados por toda a cidade. Outra novidade é o novo Polo de Cinema e Audiovisual, estrutura que foi construída anexa ao Cineteatro Wilma Bentivegna. O espaço poderá ser utilizado de forma gratuita por profissionais da Cultura para a criação de conteúdo próprio e posterior geração de renda. A obra está em sua última etapa e deve ser entregue em breve.

 

O secretário municipal de Cultura, o vice-prefeito Walmir Pinto, ressaltou a importância e o alcance dos chamamentos públicos aos artistas do setor. Além de valorizar as produções regionais, a iniciativa gerou renda para mais de 500 profissionais e conta com outras produções já marcadas para o próximo ano. Parte destas ações contaram com contrapartida da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, que oferece mecanismos para apoiar os artistas durante o período da pandemia da Covid-19.

“Mesmo tendo sido uma das mais impactadas pela crise sanitária em 2020, a Cultura seguiu viva na rotina de nossa cidade. Ao longo dos meses nos comprometemos em fomentar novas políticas públicas para a área e manter diálogo constante com os profissionais para que, juntos, fosse possível resistir e florescer diante das adversidades. Em Suzano contamos com uma gestão participativa, que ouve os artistas e mantém diálogo constante com o Conselho Municipal de Política Cultural. Tivemos um saldo muito positivo neste ano, fomentando a arte e atuando como uma ponte entre os artistas suzanenses e a população. Já estamos articulando novos projetos importantes para o futuro e seguimos confiantes de que 2022 promete ainda mais para a cultura da cidade”, concluiu.

 

 

Créditos das fotos: Paulo Pavione/Secop Suzano, Mauricio Sordilli/Secop Suzano e Wanderley Costa/Secop Suzano

  • Clique e Leia

Deixe uma resposta