• blank
    Clique e leia a Edição 190/21 do Jornal Folha 12 - 10 de Dezembro de 2021

De acordo com o gestor da UGAAT, Eduardo Alvarez, além do investimento para a realização da festa pelo poder público, existe a necessidade das adequações na produção com a aplicação da chamada ‘poda verde’ nos parreirais, que deveria ser feita neste mês para ter o prazo da colheita no período estimado. “Muitos produtores só iriam podar seus parreirais para atender a demanda da Festa e existe o risco do investimento com a produção de inverno, já que, a rentabilidade pela venda das frutas no evento ficaria comprometida no caso de controle de acesso ou restrição de público. Isso sem contar com o risco de possível cancelamento do evento no meio do período, caso se detecte contaminação por COVID 19 ou Influenza”, detalha.


Como a Festa da Uva é o principal evento do calendário do turismo rural da cidade, o Comtur propôs planejar outras ações para minimizar a ausência do evento. As ações serão apresentadas para os setores envolvidos com vistas ao atendimento das determinações sanitárias específicas, conforme o cenário epidemiológico vigente.

A exemplo do Carnaval, quando a definição pela não realização das festividades foi adotada pela Região Metropolita de Jundiaí, a medida tem por objetivo a prevenção ao agravamento da pandemia e da disseminação dos vírus respiratórios em ambientes de aglomeração.

Assessoria de Imprensa
Fotos: Fotógrafos PMJ

Deixe uma resposta