Caso raríssimo na Indonésia impressionou a comunidade médica internacional após duas pedras gigantes serem retiradas pela vagina de uma mulher de 30 anos. As informações foram publicadas pela revista “Urology Case Reports”.

As pedras medem 3,6 cm x 5 cm e 5 cm x 5,8 cm – do tamanho de duas bolas de pingue-pongue, sendo que uma delas estava presa à parede da bexiga, enquanto outra estava na parede do reto.

Tudo começou quando a mulher estava procurando tratamento para infertilidade. No exame de imagem, duas pedras ‘sólidas e lisas’ foram localizadas na área pélvica da paciente.

Ela também havia relatado aos médicos que tinha problemas na bexiga desde os cinco anos de idade, quando sofreu acidente que causou a ruptura do órgão. Além disso, os períodos menstruais dela eram irregulares e dolorosos, mas ela nunca procurou tratamento para isso.

Os médicos disseram que as pedras vaginais podem ficar “silenciosas por muitos anos” à medida que se formam lentamente, permanecendo “não detectadas quando não há sintomas”.

“A obstrução vaginal também causará problemas de qualidade sexual e infertilidade em uma mulher adulta”, afirmaram os autores da revista.

As pedras podem ter se formado devido ao acumulo de urina onde não deveria, como na vagina, por exemplo, segundo os médicos. Neste caso, a paciente deve ter sofrido por conta da abertura anormal entre a vagina e os dutos que transportam a urina dos rins para a bexiga, chamada de fístula ureterovaginal.

Segundo os médicos, isso ocorreu devido aos ferimentos que ela sofreu quando criança, que também causaram danos nos órgãos reprodutivos que ela desconhecia, bloqueando parcialmente a abertura da sua vagina.

  • Clique e Leia

Deixe uma resposta