“Lembro da época em que poucos motoristas sabiam usar esse sistema”. A recordação do músico Dan Oliva, 39 anos, refere-se a um passado em que os motoristas do transporte público de Santos estavam aprendendo, há mais de 10 anos, a usar as plataformas elevatórias (elevadores) que permitem o embarque e desembarque de pessoas com deficiência nos ônibus da frota municipal. Atualmente, essa realidade é bem diferente, garante ele, que é cadeirante e mora no Embaré.

Dan embarcou, na manhã desta segunda-feira (14), em um ônibus no Terminal de Integração de Passageiros Rubens Paiva, no Valongo. O acionamento do sistema elétrico e hidráulico que transforma a escada do coletivo em um elevador para o transporte dos cadeirantes foi rápido – em 30 segundos, o músico já estava colocando o cinto de segurança.

E o que garante a agilidade do acionamento do sistema? A resposta é simples: treinamento constante dos motoristas. Todos os que entram na empresa de transporte público passam por um curso de 22 horas, que inclui o aprendizado do acionamento do sistema para os cadeirantes. A cada introdução de uma inovação do sistema, os motoristas passam por uma reciclagem para estarem atualizados.

Dan Oliva, que toca na banda 2RD com outro cadeirante (Guido Bertoni), desceu do ônibus num ponto da Avenida Bernardino de Campos. Entre tirar o cinto de segurança e descer para a calçada, o tempo novamente foi de aproximadamente 30 segundos. “A acessibilidade no transporte público de Santos é muito boa, principalmente se comparada a outros municípios”, define o músico.

Um dos motoristas da frota municipal, Gilberto Cicero Barbosa, conta que recebe treinamento constante para operar o sistema. “Não tenho dificuldade alguma. Quando tem alguma alteração no equipamento, recebemos orientações”. Seu colega de trabalho Paulo Henrique Xavier da Silveira também diz que o treinamento deixa a operação bem tranquila. “Se alguém tem qualquer dificuldade, nos passam todos os ensinamentos”.

A CET-Santos realiza fiscalizações regulares nos ônibus para verificar a funcionalidade das plataformas elevatórias para pessoas com deficiência. Quando detectada alguma irregularidade, a permissionária é notificada e o veículo é imediatamente substituído e encaminhado à manutenção.

O telefone da CET para registro de falhas na operação do serviço de transporte público é (13) 3228-9300 ou 0800-7719194 (opção 2). Pessoas com deficiência têm direito à gratuidade no transporte público. Para obter o benefício, devem portar a credencial expedida pela CET. Mais informações também podem ser obtidas pelos mesmos números de telefone (3228-9300 e 0800-7719194).

Fotos: Rogério Bomfim.

  • Clique e Leia

Deixe uma resposta