Composta por cinco agentes, a Patrulha Maria da Penha realiza o acolhimento e acompanhamento de casos de violência doméstica

A Patrulha Maria da Penha, da Guarda Civil Municipal (GCM) de Poá, completou neste domingo (24/04), três anos de atividade no município. Sob a coordenação da GCM Kelly Aparecida Pedro, que conta com mais quatro agentes, tem como objetivo oferecer acompanhamento preventivo periódico e garantir maior proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar que possuem medidas protetivas de urgência vigentes, baseadas na Lei Maria da Penha (nº 11.340/2006).

Desde o início da atividade, a patrulha já atendeu cerca de 250 mulheres e, de janeiro de 2021 a março de 2022, houve um aumento de aproximadamente 80% neste suporte. A secretária de Segurança Urbana, Marlene Sant’Anna, atribui este resultado ao trabalho da corporação. “Esse aumento pode ser visto de várias formas, mas acredito que a principal delas não é o aumento da violência, mas sim, o empenho dessas guerreiras e da divulgação desse importante trabalho que faz com que mais mulheres denunciem os crimes no qual vêm sendo vítima há muito tempo”, destacou.

Além dos acompanhamentos com atendimento humanizado que são prestados pela Patrulha Maria da Penha, a equipe também realiza palestras de orientação e conscientização sobre a importância da mulher não se submeter a qualquer tipo de agressão, seja ela física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral. “Em 2021, foram realizadas 1.331 acompanhamento às vítimas de violência doméstica que possuem medidas protetivas, bem como registradas 35 ocorrências de violência doméstica. O acolhimento e o acompanhamento de cada caso são de extrema importância para a reconstrução da mulher que, muitas vezes, obrigatoriamente se inicia no campo psicológico”, afirmou a coordenadora.

A equipe da Patrulha Maria da Penha é composta por agentes do sexo feminino e tem a responsabilidade de realizar o acolhimento humanizado à vítima de uma maneira que ela não se sinta constrangida e que crie um vínculo de confiança, para fazer os relatos que são imprescindíveis para classificação dos casos e para fazer os encaminhamentos necessários. Para relatar ou denunciar casos de violência contra a mulher, os cidadãos podem acionar a GCM pelos telefones 180 (Central de Atendimento à Mulher – Lei Maria da Penha) e 153 (Guarda Municipal de Poá) ou comparecer à Sala Rosa, localizada na Delegacia de Poá (avenida Antônio Massa, 195 – Centro) ou à Secretaria da Mulher (rua Fernando Pinheiro Franco, 141, Centro).

FOTOS: Divulgação

  • Clique e Leia

Deixe uma resposta