Em diversas produções da cultura pop é possível ver agentes secretos e espiões usando equipamentos tecnológicos capazes de enxergar através das paredes para surpreender seus inimigos. Agora, parece que essa tecnologia está saindo dos filmes e séries para aos poucos se tornar realidade.

Pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, na Pensilvânia, Estados Unidos, desenvolveram um método para utilizar sinal Wi-Fi para mapear pessoas tridimensionalmente. A técnica é capaz de identificar com precisão o posicionamento e os movimentos de indivíduos.

“Desenvolvemos uma rede neural profunda que mapeia a fase e a amplitude dos sinais WiFi para coordenadas UV em 24 regiões humanas. Os resultados do estudo revelam que nosso modelo pode estimar a pose densa de vários sujeitos, com desempenho comparável a abordagens baseadas em imagens”

Os cientistas utilizaram um sistema de detectar pixels em humanos através de fotos conhecido como DensePose, criado por pesquisadores britânicos utilizando a inteligência artificial do Facebook. A partir desta tecnologia, foi desenvolvida uma rede neural para mapear características humanas utilizando sinais emitidos e recebidos por roteadores wi-fi.

Especulando uma possível aplicação, os profissionais envolvidos no projeto afirmaram que sua tecnologia pode ser utilizada para substituir “câmeras RGB”, já que podem detectar pessoas precisamente mesmo em ambientes mal iluminados e têm capacidade para superar obstáculos no ambiente.

Os cientistas ainda defendem que a tecnologia pode ser um avanço significativo em privacidade, já que os operadores não terão acesso às imagens das pessoas. Ela também poderá ser usada para monitorar idosos e pessoas que necessitam de cuidados especiais. Além disso, há de ressaltar a facilidade de encontrar e os preços acessíveis dos equipamentos necessários para colocar a tecnologia em prática.

Deixe uma resposta