O youtuber e podcaster Monark afirmou no início da semana, em um vídeo enviado ao podcast Inteligência Ltda, que vai ter que procurar outro emprego caso o seu canal seja derrubado do Rumble (plataforma de compartilhamento de vídeos).

Por determinação da Justiça, Monark teve os seus perfis no Twitter e no Instagram retidos na semana passada. Ele já havia sido bloqueado pelo YouTube no fim do ano passado.

“Recentemente eu fui banido de todas as redes sociais que existem. O Estado declarou ilegal qualquer plataforma ‘hostear’ [abrigar] qualquer tipo de conteúdo vindo de mim. O Rumble foi a única plataforma que não me baniu. Eles receberam uma ordem judicial do STF mandando me banir, porém eles estão lutando contra essa ordem e não me baniram ainda”, disse Monark.

“O Estado decidiu que eu não posso mais existir na vida pública da internet, então, se o Rumble não conseguir ‘tankar’ [resistir], vou ter que procurar outro emprego. Se vocês tiverem uma empresa aí, onde eu possa fazer alguma coisa que não seja mídia, eu vou estar precisando, viu galera. Estou proibido pelo Estado de existir comercialmente na mídia”, completou.

Monark foi suspenso do Twitter e do Instagram após ter defendido os extremistas que invadiram prédio do STF, o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional no dia 8 de janeiro. No começo de 2022, ele foi demitido da apresentação do Flow, podcast que ajudou a criar, ao defender a existência de um partido nazista no Brasil.

Deixe uma resposta