Com uma série de novidades para 2024, a 3ª Gincana Sustentável foi oficialmente lançada nesta terça-feira (9), durante solenidade no Lions Clube de São Vicente (Vila São Jorge), com a presença de representantes de 82 escolas da rede municipal. Entre os anúncios para a edição deste ano está a inclusão de latas de aço na lista de produtos a serem coletados pelas escolas e creches, juntando-se aos lacres de latas de alumínio, tampinhas plásticas de garrafas PET, pilhas usadas e eletroeletrônicos quebrados. A destinação correta desses produtos ajuda a minimizar impactos sobre a flora e a fauna terrestre e marinha. 

 

À frente do projeto, a assessora pedagógica Vandilma Galindo afirmou que a meta é dobrar a arrecadação em relação ao ano passado, passando para 20 toneladas de material coletado. “Sabemos dos impactos do aquecimento global, cada vez mais intenso. As mudanças climáticas já são sentidas e não há como fecharmos os olhos para essa questão tão preocupante”, salientou Vandilma, destacando, ainda, a vigência até 2030 da Década dos Oceanos, estabelecida pelas Nações Unidas para promover a conservação e o uso sustentável dos oceanos e seus recursos. 

 

A Gincana Sustentável integra a série de propostas do Programa Escola Verde, da Secretaria da Educação de São Vicente (Seduc) e, a exemplo das edições anteriores, no final do ano haverá premiação sobre o maior número de arrecadações por escola, sala e aluno, além de sorteio de brindes. 

 

A iniciativa destaca também os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), inclusive o  nº 17, que prevê o fortalecimento dos meios de implementação e revitaliza a parceria global para o desenvolvimento sustentável, conforme estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Em São Vicente, as parcerias são com o Programa Meio Ambiente nas Escolas (Pmane), Prolata, Japuí – Gestão de Resíduos e Secretaria de Meio ambiente (Semam), além do apoio do Lions Clube de São Vicente, Projeto Ecoviver, Núcleo da Cultura de Paz e Unesp.

 

“É uma grande honra para o grupo EcoRodovias participar desta ação que cresceu tanto e que já está consolidada. Em 18 anos de atuação do projeto Ecoviver não vimos programas deste tipo na Baixada Santista, relacionados à sustentabilidade e ao meio ambiente. Espero que a ação cresça e se desenvolva cada vez mais“, desejou Patrícia Queiroz,  há 14 anos à frente do Ecoviver.

 

Coordenador de logística do Pmane, Leonardo Giardini apontou a importância da destinação correta de resíduos. “Esse é o grande mote do programa: conscientizar a população de que cada pessoa tem sobre o resíduo que gera”. 

 

“É um projeto que faz toda a diferença para o aluno, que levará essa conscientização para a sua casa, para a sua família e para a comunidade em que vive”, complementou a supervisora da Diretoria Pedagógica da Seduc, Michele Paraguai, representando a secretária Nivea Marsili na solenidade.

 

 

Texto – Renato Pirauá

Fotos – Cynthia Rocha

 

source
Com informações da Prefeitura de São Vicente

Anúncios

Deixe uma resposta