23 de maio de 2024 Governo Federal vai repassar R$ 200 milhões para investimento em habitação; maiores intervenções serão realizadas nos núcleos habitacionais Marilene e Gazuza

Núcleo do Gazuza será o primeiro a passar por requalificação

Após 15 anos, Diadema vai voltar a assinar contratos com o governo federal do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os dois contratos do Novo PAC vão garantir R$ 200 milhões para ‘mudar a cara’ dos núcleos habitacionais Marilene e Gazuza e garantir a regularização fundiária a moradores de outros 18 núcleos habitacionais.

Esses contratos fazem parte do Periferia Viva, programa do governo federal de intervenções nas áreas periféricas com participação popular. O último contrato do PAC havia sido assinado em 2009 e agora, com Lula na presidência, a expectativa é que outros acordos sejam realizados.

A primeira intervenção acontece no Gazuza, com melhoria habitacional, obras de urbanização e de infraestrutura de mobilidade, construção de moradias e instalação de equipamentos públicos. “O Periferia Viva é um projeto de requalificação e vamos mudar a cara do Gazuza”, disse Patrícia Cavalcanti, secretária de Habitação e Desenvolvimento Urbano.

Os moradores do Gazuza vão ganhar um parque com áreas de lazer, pista de caminhada, ciclovia, praça de skate e um mirante. Serão construídas novas unidades habitacionais e o pavimento térreo do prédio vai abrigar uma base de atendimento de saúde como ponto de apoio à UBS da região. O espaço onde hoje tem a bica será uma área de lazer com espelho d’água destinada a eventos culturais. Ao final da obra, os moradores terão o título de propriedade de seu imóvel.

Moradias também serão requalificadas

Projeto Tá + Bonito vai melhorar as condições das moradias

As moradias também vão passar por um processo de requalificação para a melhoria das condições de salubridade, acessibilidade e segurança, dentro do projeto Tá + Bonito. Desde março, vinte arquitetos e urbanistas iniciaram o levantamento arquitetônico das moradias para apresentar projetos para levar mais iluminação às casas, diminuir a possibilidade de mofo e de acúmulo de água, entre outras ações.

“É uma parceria inovadora com a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP – Universidade São Paulo. São cerca de mil moradias no Gazuza e todas elas terão uma proposta de requalificação”, disse a secretária.

Patrícia comentou que a retomada dos contratos do PAC acontece em razão do alinhamento político entre Lula e Filippi. “Eles falam a mesma língua e eles têm o compromisso com as políticas públicas habitacionais com foco na população que mais necessita, que são os moradores da periferia”, afirmou.

Ela explicou que os projetos são ousados e rico em detalhes, e apontam de forma real como a periferia pode ser transformada. “Os projetos estão muito bem elaborados e o Ministério das Cidades passou a usá-los como parâmetros para fundamentar os outros projetos apresentados”, concluiu.

Fotos: Mauro Pedroso e Igor Andrade

source
Com informações da Prefeitura de Diadema

Anúncios

Deixe uma resposta