Cinco escolas da Rede Pública Estadual serão beneficiadas com o projeto do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP), denominado “O IHGP vai às escolas: uma proposta de educação patrimonial para as Escolas da Rede Estadual de Educação da Paraíba”, que foi aprovado pela Secretaria de Estado da Educação da Paraíba (SEE-PB), por meio do edital 051/2022 de Chamamento Público de Fluxo Contínuo. A cerimônia de lançamento do projeto aconteceu na noite dessa quarta-feira (22). O investimento liberado pela SEE-PB para a proposta é de quase R$ 350 mil.

O edital da SEE-PB prevê ações voltadas à história e à defesa do patrimônio cultural da Paraíba a serem desenvolvidas por meio da educação patrimonial, visando à complementação curricular para os ensinos fundamental e médio das escolas públicas estaduais. Além do IHGP, mais quatros instituições tiveram projetos aprovados, são elas: o Instituto Voz Popular; o Centro Cultural São Francisco – Arquidiocese da Paraíba; o Instituto Histórico e Geográfico de Bayeux – IHGB; e a Academia Paraibana de Letras (APL).

As escolas participantes do projeto do IHGP serão a Escola Cidadã Integral (ECI) Luzia Simões, Escola Cidadã Técnica Integral (ECIT) João Pereira Gomes Filho, ECIT Professor Pedro Augusto Porto Caminha, ECI Liceu Paraibano e o Centro Profissional Deputado Antônio Cabral (CPDAC).

A secretária executiva de Gestão Pedagógica da Secretaria de Estado da Educação, Elizabete Araújo, afirmou que o Governo da Paraíba, por meio da SEE-PB, prioriza projetos que possam contribuir com as escolas. “São muito bem-vindos projetos que promovam a formação dos professores e o desenvolvimento dos nossos estudantes. O investimento nessa iniciativa foi de quase 350 mil. O projeto é uma oportunidade de revisitar a história, e ao final dessa parceria com certeza teremos a apresentação de um produto que será muito positivo”, frisou.

Na metodologia da proposta estão previstos quatros cursos que serão ministrados para professores a partir do próximo mês de julho. Entre as temáticas dos cursos estão: “João Pessoa: Evolução e síntese de uma cidade através do acervo do Varadouro e do acervo do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano”; “O racismo na História e na Literatura Brasileira”; “Patrimônio Histórico: O que preservar? Como preservar? Por que preservar?” e a “História Cultural e Gênero”.

A partir do mês de agosto, serão ministradas três oficinas para os estudantes, sendo as temáticas: “A fotografia como meio de preservação do patrimônio histórico e cultural”; “Cultura afro-brasileira: uma releitura da narrativa sobre os negros e negras na Paraíba e no Brasil”; e “Mulheres, imagens e narrativas: o uso do cinema e da literatura como fontes para o ensino de história”.

“Sentimos a necessidade de trazer essas temáticas para dentro do IHGP. As temáticas que serão trabalhadas fazem parte das diretrizes curriculares das escolas. Ouvimos a Secretaria de Estado da Educação e os gestores. Nossa meta é atingir 900 estudantes e 50 professores e queremos levar o IHGP para dentro das escolas por meio de exposição. Outra exposição online está em exibição no site do Instituto que mostra a história das escolas”, detalhou o presidente do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP), Jean Patrício.

O cronograma do projeto ainda conta com a circulação pelas escolas participantes da exposição “Minha Escola, Minha Cidade”, iniciativa que está prevista para ser realizada nos meses de outubro e novembro deste ano.

“A educação patrimonial não é uma temática exclusiva da disciplina de história, mas é uma temática multidisciplinar, então todas as áreas de conhecimento podem participar”, comentou a professora da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e coordenadora do projeto do IHGP, Janaína Camilo.

source
Com informações do Governo do Estado de Paraíba

Anúncios

Deixe uma resposta