Na Região de Saúde Sudoeste – que engloba Águas Claras, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires -, o Fórum Regional de Modelagem de Atenção Ambulatorial Especializada encerrou, nesta quarta (22), a programação. Promovido nas sete regiões de saúde do Distrito Federal, o encontro teve como objetivo debater soluções e estratégias para os serviços especializados.

Evento reuniu especialistas em torno de debates sobre a elaboração de diretrizes para a política distrital de saúde | Foto: Ualisson Noronha/Agência Saúde

Impulsionado pela publicação da Política Nacional de Atenção Especializada em Saúde, o encontro discutiu as informações qualitativas provenientes de profissionais da emergência para troca de experiências, resolução de problemas e elaboração de diretrizes para a política distrital.

 “Viemos fazer o que é o mais importante, cuidar da saúde do paciente”

Cyntia Candeia, diretora substituta de Atenção Secundária da Região de Saúde Sudoeste

Os participantes se dividiram em grupos para debates voltados a serviços específicos de saúde para crianças e adolescentes, mulheres, idosos, pessoas com doenças infecciosas e com doenças crônicas não transmissíveis.

“Somos uma das maiores regiões de todo o Distrito Federal e percebemos que são profissionais capacitados e qualificados”, afirmou o diretor do Hospital Regional de Taguatinga (HRT), José Henrique Barbosa. “Viemos fazer o que é o mais importante, cuidar da saúde do paciente”, resumiu a diretora substituta de Atenção Secundária da Região de Saúde Sudoeste, Cyntia Candeia.

Por sua vez, a diretora de Atenção Primária, Joanna Lima, lembrou: “Precisamos da interação da Atenção Primária e Secundária, deste pacto e de ideias criativas. Essas ideias surgem agora”.

Representante da Coordenação de Atenção Secundária e Integração de Serviço (Coasis), Isabela Araújo reforçou que o trabalho conjunto auxilia na redução de filas nas portas dos hospitais: “A importância da Atenção Secundária é que ela atua como auxílio para a Atenção Primária para evitar que os pacientes se aglutinem nas portas dos hospitais para pedir socorro”.

Dados da região

Atualmente, a Região de Saúde Sudoeste conta com 32 unidades básicas de saúde (UBSs), dois hospitais e outros 16 equipamentos de atenção especializada, como policlínicas e centros especializados, além de duas unidades de pronto atendimento (UPAs), que auxiliam no cuidado. A Atenção Primária em Saúde (APS) – composta por 164 equipes de Estratégia Saúde da Família – possui a cobertura de 74% de todo o público.

A população da região é composta por mais de 880 mil pessoas, com 64% dependentes do Sistema Único de Saúde (SUS). A maior parte se concentra em Samambaia e Recanto das Emas – cidade mais vulnerável da região.

Confira as sete regiões de saúde do Distrito Federal.

*Com informações da Secretaria de Saúde do DF

 

 

source
Com informações da Agência Brasilia

Anúncios

Deixe uma resposta