23 de maio de 2024 – 13:43
#Alece #HSM #Passeio #terapia


Milena Fernandes – Ascom HSM – Texto e fotos


Grupo de pacientes teve a oportunidade de conhecer o Memorial da Alece

Mais um passeio terapêutico foi oferecido aos pacientes de longa permanência internados no Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM), equipamento da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). A ideia desse tipo de ação é proporcionar a esses pacientes momentos interativos e que fujam da rotina. Nesta quarta-feira, 22, o destino escolhido foi a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alece). Foram visitados o memorial, que conta a história política do estado, e ainda o plenário.

“No HSM, uma equipe multidisciplinar formada por psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e técnicos de enfermagem está sempre trabalhando com o objetivo de desenvolver o bem-estar e a socialização aos pacientes por meio de visitas a ambientes externos previamente escolhidos”, explica a coordenadora de Enfermagem, Renata Pinheiro.

Oito pacientes acompanhados por enfermeiros, técnicos e médicos tiveram a oportunidade de conhecer o plenário e o museu, intitulado Memorial Pontes Neto (Malce), onde é possível vivenciar a história política do Ceará, desde a chegada da Família Real portuguesa ao Brasil, em 1808, até a atualidade. “Os pacientes se sentiram valorizados, tiveram sua autoestima elevada pela oportunidade de passear e conhecer um ambiente novo. A receptividade na Alece foi muito calorosa, contribuindo para o bem-estar de todos eles”, afirma Renata.

Pacientes foram informados sobre história política do Ceará

O paciente D.L.B, de 35 anos, internado para tratamento de depressão grave, conta que ficou muito animado com o passeio. “Gostei muito de ver o memorial, ouvir as histórias, conhecer o plenário e como tudo funciona por lá. Foi bem diferente, chamou minha atenção. É muito bom sair do hospital um pouco, ver a cidade, as pessoas e outra realidade”, revela.

O grupo também conheceu o plenário da Assembleia Legislativa

De acordo com o psiquiatra Cláudio Leite, esse tipo de passeio, do ponto de vista médico, é muito importante, pois muitas dessas pessoas foram abandonadas por seus familiares e possuem certo prejuízo cognitivo. “Tirar um pouquinho essas pessoas da unidade hospitalar é necessário para que ‘respirem outros ares’. Para nós, cuidadores, também é muito válido, para observar como eles se comportam fora do hospital. Quando um paciente com transtorno mental é retirado do ambiente hospitalar, pode apresentar um comportamento diferente. Por isso é importante observarmos para dar o primeiro passo na desinstitucionalização dos pacientes”, ressalta.

O especialista também defende os passeios terapêuticos como uma forma de combater o estigma ao paciente com transtorno psiquiátrico. “A Assembleia Legislativa recebeu esse grupo de pacientes com transtorno mental grave e que, como todo cidadão, tem direito de conhecer e participar do que acontece na casa. Esse passeio joga luz na pauta da inclusão e combate ao estigma”, enfatiza.





source
Com informações do Governo do Estado do Ceará

Anúncios

Deixe uma resposta