Servidores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES) participaram, nessa terça-feira (21), de atividades do movimento Maio Amarelo, que busca chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito. Os acidentes configuram um grave problema de saúde pública, provocando impacto na morbidade e na mortalidade da população, bem como aumento da demanda por serviços de saúde.

Evento realizado na sede da Subsecretaria de Vigilância à Saúde contou com práticas instrutivas, apresentação teatral e entrega de materiais educativos | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Realizado na sede da Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS) da SES, o evento contou com parceria do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e ofereceu práticas instrutivas, apresentação teatral e entrega de materiais educativos.

Segundo o gerente de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde (GVDANTPS), Adriano de Oliveira, a conscientização é a medida mais efetiva para o favorecimento de uma cultura de paz no trânsito. “Só é possível propagar uma ideia quando você realmente acredita nela. Então, trabalhamos intensamente com a conscientização junto aos nossos profissionais, para que estejam aptos a difundir isso por todos os nossos serviços da rede de atenção à saúde do DF”, explica o gestor.

Os dados mais recentes da SES apontam que, no Distrito Federal, entre 2012 e 2021, foram registrados 5.960 óbitos em decorrência de acidentes de transporte terrestre. Com o objetivo de reduzir lesões e mortes no trânsito, a GVDANTPS coordena o programa Vida no Trânsito no Distrito Federal (PVT). A iniciativa intersetorial abrange áreas como segurança pública, saúde, educação, transporte e mobilidade, obras e infraestrutura, além de organizações não governamentais.

*Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES)

source
Com informações da Agência Brasilia

Anúncios

Deixe uma resposta