O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), está realizando, nesta terça (21) e quarta-feira (22), o Encontro de Construção das Oficinas Regionais de Qualificação do Pré-natal. O evento tem como objetivo qualificar os profissionais que atuam na Atenção Primária e Hospitalar sobre o manejo do pré-natal, visando diminuir a mortalidade maternoinfantil. A formação é destinada aos médicos do programa Mais Médicos, técnicos de Saúde, profissionais de Apoio Institucional do REAP QUALI/PB e profissionais de apoio das Regionais de Saúde. A agenda acontece no auditório de Fonoaudiologia da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa.

De acordo com a gerente executiva de Atenção à Saúde, Izabel Sarmento, a ideia principal do encontro é discutir e elaborar estratégias de enfrentamento das causas da mortalidade materna e infantil. “No pré-natal é possível identificar precocemente qualquer alteração durante a gestação. Dessa forma, ao qualificarmos os profissionais da Atenção Primária para atuarem mais assertivamente nesses casos, conseguiremos reduzir e até mesmo evitar um desfecho negativo, que é o óbito materno. Então este é um momento de construção, onde iremos elaborar todo um processo que será aplicado nos territórios para ampliar e melhorar o cuidado e atendimento a essas mães e recém-nascidos”, explicou.   

A gestora destaca que as oficinas são importantes para o aperfeiçoamento de práticas e condutas hospitalares necessárias para o aprimoramento da Rede Estadual, impactando diretamente na assistência concedida às mulheres e crianças. “É preciso considerarmos a realidade dessas mulheres, e com isso, entendermos de que forma as questões sociais, as vulnerabilidades e as dificuldades de acesso à assistência acabam contribuindo com desfecho desfavorável”, pontuou.

Durante o encontro serão discutidos temas como o acesso, inclusão e acompanhamento das gestantes no contexto das diversidades; Fortalecimento da atenção à saúde sexual e reprodutiva por meio do Planejamento Familiar/Reprodutivo no âmbito da Atenção Primária à Saúde; Fomento da construção das Oficinas Regionais de Qualificação do Pré-Natal.

Para a coordenadora estadual da Saúde da Mulher, Fátima Moraes, discutir temas como planejamento familiar e reprodutivo das mulheres é também uma forma de prevenir o óbito materno, já que, quando há um planejamento antes mesmo da gravidez, são observados sintomas de comorbidades que podem trazer riscos à gestação e/ou à vida dessa mulher. “Durante a gravidez podem ser identificadas cardiopatias, diabetes, hipertensão, ou doenças como a lúpus, por isso, quando há um planejamento familiar, essa mulher é informada dos riscos que ela pode ter ao engravidar. Assim, ao serem diagnosticados os riscos de uma gestação, a mãe é encaminhada rapidamente para o pré-natal de alto risco, onde ela terá toda a assistência e cuidado necessários para seguir com a gestão de forma segura”, reiterou.  

Com a qualificação são esperados resultados como: a ampliação da captação precoce de gestantes de risco em potencial por meio da implementação da Estratificação de Risco no Pré-Natal; Diminuição do número de óbitos maternos por causas evitáveis no estado da Paraíba; Qualificação da atenção à saúde no Pré-Natal de risco habitual e alto risco; Diminuição da transmissão vertical de HIV e sífilis no estado da Paraíba; Qualificação do Planejamento Familiar/Reprodutivo no âmbito da Atenção Primária à Saúde e Início dos diálogos para o processo de implementação da 3ª Etapa do Método Canguru na APS.

source
Com informações do Governo do Estado de Paraíba

Anúncios

Deixe uma resposta