O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) lança nesta sexta-feira (5), às 17h, na Livraria do Luiz do MAG Shopping, em Manaíra, a nova edição do livro “Descrição Geral da Capitania da Paraíba”, de Elias Herckmans. A nova edição da obra, uma das raridades do período colonial, é resultado do trabalho de um grupo de pesquisadores do Iphaep, composto por historiadores, professores e  antropólogos, que se debruça sobre o estudo da Capitania da Paraíba e a História do Brasil Holandês.

Com apresentação da historiadora do Iphaep, Ronilene Diniz, que abrirá espaço para debate entre os participantes, o livro “Descrição Geral da Capitania da Paraíba” foi publicado pela Editora Ideia, organizado pelo antropólogo Carlos Azevedo e o historiador Edvaldo Lira. A obra teve edições anteriores esgotadas nas livrarias e será comercializada ao preço de R$ 50,00.

Ronilene Diniz informou que o grupo de estudo nasceu após discussões sobre Elias Herckmans e, há dois anos, o antropólogo Carlos Azevedo, do Iphaep, sugeriu criar o grupo “Brasil Holandês”, que recebeu apoio da diretora executiva Tania Queiroga, com o objetivo de fazer discussões quinzenais acerca dessa temática.

“O grupo já apoiou o lançamento do livro ‘A Baía que traiu Portugal”; lançou livros acerca do Brasil Holandês contando a atuação dos ‘derrotados’ a época como os povos originários potiguaras, tapuias e judeus, além dos próprios holandeses. Com isso foi lançada a ‘Carta de Nassau’ e agora o livro ‘Descrição Geral da Capitania da Paraíba’”, informou Ronilene, ressaltando que, além dos estudos, pesquisas e publicações, o grupo promove seminários e palestras em escolas públicas que se localizam no entorno do  Iphaep e aulas para o Enem.

Quem foi – Enquanto diretor da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, Elias Herckmans governou a capitania da Paraíba de 1636 a 1639. Nesse período, deixou um relatório etnográfico, econômico e geográfico ricamente detalhado e originalmente intitulado ‘GeneraleBeschrjvinge van de Capitania Paraíba’, datado de 1639.

A primeira parte desses registros é dedicada à capital, hoje João Pessoa, e a segunda é voltada aos engenhos do Vale do Rio Paraíba. Já uma terceira parte trata sobre costumes dos Tapuias, como eram chamados os índios locais. Herckmans foi um dos integrantes do grupo de artistas e sábios trazidos pelo conde Maurício de Nassau ao Brasil durante a ocupação holandesa.

Elias Herckmans foi também geógrafo e cartógrafo, além de escritor. Governou a Paraíba e teve a oportunidade de conhecer grande parte da planície litorânea pertencente à capitania e seus primeiros contrafortes, seus engenhos, com atenção especial às várzeas dos rios, principalmente o Paraíba.

Os registros captados por ele ocorreram em uma grande expedição que durou aproximadamente dois meses. Esse conhecimento holístico sobre essas terras foi transformado em documento escrito no último ano de seu governo e só publicado em 1879 (em holandês). O livro foi traduzido em língua portuguesa em 1884, por José Higino Duarte Pereira e publicado três anos depois na Revista do Instituto Archeologico e Geographico Pernambucano.

source
Com informações do Governo do Estado de Paraíba

Anúncios

Deixe uma resposta