Uma sessão de emergência do Conselho de Segurança debate nesta terça-feira a Ucrânia, um dia após a série de ataques russos contra diferentes cidades. Danos significativos foram reportados no hospital infantil Okhmatdyt, na capital Kyiv.

Em discurso, a subsecretária-geral interina para os Assuntos Humanitários, Joyce Msuya, disse que o departamento de toxicologia, que tinha crianças recebendo hemodiálise, esteve entre os mais severamente danificados na operação que atingiu o centro hospitalar.

Triagem em meio ao caos, poeira e escombros

Ela contou que depois, socorristas encontraram menores recebendo tratamento para câncer em leitos hospitalares montados em parques e na rua, onde equipes médicas rapidamente criaram áreas de triagem “em meio ao caos, poeira e escombros”.

Joyce Msuya alertou que os efeitos humanitários da guerra são graves

Joyce Msuya alertou que os efeitos humanitários da guerra são graves

Pelo menos 27 civis, incluindo quatro crianças, foram mortos nesse ataque e 117 ficaram feridos, incluindo sete menores. No encontro do Conselho também foi ouvido o testemunho do diretor do hospital.

Para Msuya, os efeitos humanitários da guerra são graves. Mais de 14,6 milhões de pessoas precisam de alguma forma de assistência. O total de vítimas equivale a 40% da população da Ucrânia, sendo que 56% delas são mulheres e meninas.

Para estes grupos, o acesso aos cuidados médicos, incluindo de saúde materna e reprodutiva, é severamente restrito.

Cerca de 1.878 ataques contra instalações de saúde

Além de Kyiv, as cidades de Kryvyi Rih, Dnipro, Sloviansk e Kramatorsk também sofreram a onda de ataques da Rússia. De acordo com as autoridades ucranianas, pelo menos 33 pessoas morreram e ouras 140 ficaram feridas em todos esses atos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, cerca de 1.878 ataques foram realizados contra instalações de saúde desde o início da guerra na Ucrânia.

O total corresponde a quase metade de todos os ataques relatados em todo o mundo desde 24 de fevereiro. A agência verificou ainda 507 vítimas desses atos, incluindo 148 mortes.

crianças que recebiam tratamento para câncer e hemodiálise estão entre as vítimas do ataque

© Unicef/Tetiana Bundzilo

crianças que recebiam tratamento para câncer e hemodiálise estão entre as vítimas do ataque

A atuação do Escritório da ONU para Assistência Humanitária, Ocha, com parceiros garantiu a entrega de assistência essencial a 4,4 milhões de pessoas em toda a Ucrânia nos primeiros quatro meses deste ano.

Limpeza de escombros em busca de pessoas presas

A comunidade doadora forneceu US$ 887 milhões para essas ações. Mas Msuya alertou que, passado meio ano, o montante corresponde somente a 28% dos US$ 3,1 bilhões necessários para prestar auxílio ao país assolado pelo conflito.

Antes, o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Volker Turk, descreveu como “abomináveis” as explosões em dois hospitais de Kyiv que tratam crianças e mulheres. O seu escritório verifica os números, enquanto equipes de resgate, pessoal do hospital e voluntários limpam escombros em busca de pessoas presas.

Além de instalações de saúde, várias infraestruturas de energia foram atingidas na onda de ataques a áreas densamente povoadas.

Turk pediu que as partes com influência sobre os envolvidos no conflito ucraniano façam “tudo o que estiver ao seu alcance para garantir o fim imediato dos ataques”.

A nota destaca ainda que é preciso proteger civis e respeitar de forma rigorosa as leis de guerra ao pedir “investigações rápidas, completas e independentes sobre os últimos ataques graves a civis e infraestrutura civil, e que os responsáveis prestem contas”. 

source
Com informações da ONU

Anúncios

Deixe uma resposta