Com aproximadamente 35 obras e entrada gratuita, a mostra promete desmistificar e reduzir os estereótipos comuns em relação à arte indígena

O Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi (rua Benjamin Constant, 682 – Centro) recebe a partir desta sexta-feira (05/07) a exposição “Yetoî Urutu”, por meio da Lei Complementar nº 195/2022, a Lei Paulo Gustavo (LPG), sob curadoria do multiartista Anderson Kary Báya e produção de Rosalina Peixoto. A mostra conta com cerca de 35 obras e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9 às 19 horas, até 31 de julho (quarta-feira).

Com abertura prevista para as 18 horas, a exibição trará uma rica celebração de cultura indígena em que o público poderá desfrutar pratos típicos, apresentações xamânicas e cantos femininos que destacarão a diversidade dos artistas participantes.

A exposição apresenta ainda a beleza de cestarias, técnica milenar artesanal para a fabricação de cestas confeccionadas com fibra natural de arumã, decoradas com diversos grafismos de animais e elementos da natureza. As peças foram feitas a partir dessa planta por artistas conhecedores da tradição e que são membros da etnia indígena Tukano, do Amazonas.

A mostra visa destacar a riqueza e a complexidade da arte indígena, revelando a profundidade de cada obra. Além disso, ela se propõe a desmistificar e reduzir os estereótipos comuns sobre essa cultura, promovendo uma compreensão mais autêntica e respeitosa.

Para o secretário Municipal de Cultura, José Luiz Spitti, a exposição representa uma oportunidade de valorizar e celebrar a tradição indígena de forma autêntica. “Esta mostra é uma forma de reconhecer e promover a rica herança cultural dos povos indígenas, destacando a habilidade e a beleza das suas tradições artísticas”, afirmou o chefe da Pasta.

Crédito das fotos: Aline Baliberdin/Cultura Suzano

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta