4 de julho de 2024 – 11:06
# # # #


Ascom Cinema do Dragão – Texto

Divulgação – Fotos



‘A Flor do Buriti’, ‘Ainda Temos o Amanhã’, ‘Orlando, Minha Biografia Política’ e ‘Aquela Sensação que o Tempo de Fazer Algo Passou’ são as novidades dos próximos dias

Cinema que integra o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, complexo cultural da Rede Pública de Espaços e Equipamentos Culturais do Estado do Ceará (Rece) ligados à Secult Ceará, gerido pelo Instituto Dragão do Mar, o Cinema do Dragão inicia nova cine semana nesta quinta-feira (4), com as estreias de ‘A Flor do Buriti’, de Renée Nader Messora e João Salaviza, ‘Ainda Temos o Amanhã’, estreia da atriz Paola Cortellesi na direção de longas, ‘Orlando, Minha Biografia Política’, primeiro filme de Paul B. Preciado, e ‘Aquela Sensação que o Tempo de Fazer Algo Passou’, dirigido e protagonizado por Joanna Arnow. De quarta a domingo, as sessões regulares custam R$ 8,00 (meia) e R$ 16,00 (inteira). Já as exibições da Sessão Vitrine Petrobrás têm ingressos nos valores de R$ 6,00 (meia) e R$ 12,00 (inteira). As entradas são vendidas na bilheteria física ou na bilheteria virtual (ingresso.com/cinema/cinema-do-dragao). Às terças, todas as sessões custam R$ 5,00 (meia) e R$ 10,00 (inteira).

Sessão gratuita

Na sexta-feira (5), o Cinema do Dragão, em parceria com a Escola Porto Iracema das Artes, exibe, na sala 1, às 17h, o filme ‘Rosa Tirana’, de Rogério Sagui. A sessão especial é gratuita, mediante a retirada de ingressos 1h antes da exibição, na bilheteria do Cinema.

As estreias

‘Ainda Temos o Amanhã’

Na sala 1, entra em cartaz o filme italiano ‘Ainda Temos o Amanhã’, estreia da atriz Paola Cortellesi na direção de longas. Com ambientação em preto e branco e na Itália na década de 40, a cineasta narra com leveza a história de Delia, esposa de Ivano e mãe de três filhos que aceita a vida de esposa e mãe que lhe foi destinada. No entanto, a chegada de uma carta misteriosa desperta a sua coragem para desafiar o destino e imaginar um futuro melhor, não apenas para si mesma. Trazendo para a cena questões como o direito das mulheres ao voto, ‘Ainda Temos o Amanhã’ foi um dos títulos pré-selecionados para representar o seu país na disputa do Oscar de Melhor Filme Internacional em 2024 e foi o longa de abertura da última edição do Festival de Roma.

‘Aquela Sensação que o Tempo de Fazer Algo Passou’

Também na sala 1, entra em cartaz ‘Aquela Sensação que o Tempo de Fazer Algo Passou’, filme dirigido e protagonizado por Joanna Arnow, que estreou na Quinzena de Realizadores de 2023. No longa, dividido em capítulos que levam os nomes de pessoas com que Ann, a protagonista, se relacionou, mergulhamos numa comédia BDSM que subverte a forma narrativa clássica. Permeado de elipses e tendo dicções específicas para cada parte do filme, a trama embaralha intimidade e distância, prazer e submissão, realidade e ficção… Primeiro longa-metragem de Joanna Arnow, ‘Aquela Sensação que o Tempo de Fazer Algo Passou’ entrecruza uma discussão sobre sexualidade, trabalho, família, relações e religião.

‘Orlando, Minha Biografia Política’

Na sala 2, o Cinema do Dragão estreia dois filmes que estiveram presentes na última edição da Mostra RetroExpectativa. Entra em cartaz ‘Orlando, Minha Biografia Política’, primeiro filme de Paul B. Preciado, escritor, filósofo, curador e um dos principais pensadores contemporâneos, tendo boa parte dos seus livros publicados no Brasil pelas editoras Zahar e N-1, com destaque para as obras “Manifesto Contrassexual”, “Pornotipia” e “Um Apartamento em Urano”. Em ‘Orlando, Minha Biografia Política’, Preciado deseja “fazer um filme não binário” ao retomar o livro homônimo de Virginia Woolf, escrito em 1928, que é o primeiro romance em que o protagonista muda de sexo ao longo da história. No filme, Preciado decide enviar uma carta cinematográfica para Woolf: “seu Orlando saiu da ficção e está vivendo uma vida que ela nunca teria imaginado”. O espectador gradualmente encontra os contornos de Orlando à medida em que seu retrato emerge de um ser coletivo com múltiplas faces, vozes, corpos de diferentes pessoas trans e não-binárias. O filme segue a mesma estrutura do romance de Woolf: um diário de viagem pela história, ao mesmo tempo íntimo e político.

‘A Flor do Buriti’

Também na sala 2, o público poderá assistir ao longa ‘A Flor do Buriti’, de Renée Nader Messora e João Salaviza. Após sua passagem por mais de 100 festivais internacionais e mais de 10 prêmios internacionais – incluindo o importante prêmio de melhor elenco durante a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes -, a coprodução Brasil-Portugal, ‘A Flor do Buriti’, estreia nos cinemas brasileiros. O filme é fruto da longa parceria entre os realizadores com o povo indígena Krahô: “As diferentes violências sofridas pelos Krahô nos últimos séculos também alavancaram um movimento de cuidado e reivindicação da terra como bem maior, condição primeira para que a comunidade possa viver dignamente e no exercício pleno de sua cultura”, pontuam os diretores em material de imprensa divulgado pela distribuidora. Em relação à obra, que tem um impressionante trabalho visual e de construção da experiência temporal, Renée Nader e Salaviza concluem: “Percorremos as veredas, escutamos os problemas e participamos na resistência, sem nunca perder de vista a beleza e a delicadeza da maneira Krahô de pisar na terra e de pertencer ao mundo”.

Seguem em cartaz

Na sala 1: ‘O Estranho’, dirigido por Flora Dias e Juruna Mallon. O filme teve sua estreia mundial no Festival de Berlin em 2023, foi premiado no Queer Lisboa e, no Brasil, foi exibido no Festival Olhar de Cinema e na Mostra Internacional de São Paulo; o longa mineiro ‘Tudo o que Você Podia Ser’, dirigido por Ricardo Alves Jr., mesmo diretor de ‘Elon Não Acredita na Morte’ (2016), ‘Vaga Carne’ (2019) e ‘Quem Tem Medo?’ (2022). Celebrando a amizade e a existência de vidas LGBTQIA+ em um tratado afetuoso sobre a família que se escolhe em meio aos desafios, ‘Tudo o que Você Podia Ser’ é um retrato sensível da amizade e da busca por identidade; ‘1798 – A Revolta dos Búzios’, filme dirigido por Antonio Olavo, cineasta e pesquisador baiano que atua com temas ligados à valorização da memória negra; ‘A Ordem do Tempo’, longa de Liliana Cavani que estreou no Festival de Veneza e, no Brasil, foi exibido na última edição do Festival do Rio; e ‘Vermelho Monet’, de Halder Gomes. Mais conhecido por suas comédias, como ‘Cine Holliúdy’ e ‘Os Parças’, o cineasta cearense Halder Gomes apresenta agora um drama marcado pela discussão sobre a arte e a transformação dela em mercadoria.

Na sala 2: ‘Assassino por Acaso’, de Richard Linklater. Na narrativa, fingindo ser um assassino de aluguel para prender seus contratantes, o policial Gary Johnson quebra seus protocolos profissionais ao salvar uma mulher de seu namorado abusivo. Em sua carreira, Linklater já foi indicado cinco vezes ao Oscar, venceu duas vezes o Globo de Ouro e duas vezes o Bafta, além de ter dirigido 23 longas; ‘13 Sentimentos’, filme do mesmo diretor de ‘Hoje eu Quero Voltar Sozinho’, sucesso de público e crítica, que levou mais de 200 mil pessoas aos cinemas. O novo longa de Daniel Ribeiro é protagonizado por João, interpretado por Artur Volpi, um jovem cineasta que termina um relacionamento de 10 anos, mas que mantém uma amizade próxima com o ex-namorado; o longa ‘A Filha do Palhaço’, dirigido por Pedro Diogenes (‘Pajeú’, ‘Inferninho’, ‘O Último Trago’), com produção da Marrevolto Filmes, em associação com a Pique-Bandeira Filmes, e distribuição da Embaúba Filmes. Eleito pelo júri popular como melhor filme na Mostra de Cinema de Tiradentes e na Mostra de Cinema de Gostoso, além de ter sido exibido em diversos festivais nacionais, ‘A Filha do Palhaço’ traz no elenco Lis Sutter, atriz estreante, Démick Lopes (‘Greta’, ‘Inferninho’, etc.), Jesuíta Barbosa, Jupyra Carvalho, entre outros; integrando a Sessão Vitrine Petrobras, um dos maiores clássicos do cinema nacional: ‘A Hora da Estrela’, de Suzana Amaral, que, em 1985, foi agraciado com o Urso de Prata de Melhor atriz no Festival de Berlim, premiando a gigante atriz paraibana Marcélia Cartaxo.

Programação

AINDA TEMOS O AMANHÃ (Itália, 2023) – Estreia

Direção: Paola Cortellesi // 118 min. // 16 anos // Pandora

Sinopse: Em uma Roma pós-guerra dos anos 40, dividida entre o otimismo da libertação e as misérias, vive Delia, uma mulher dedicada, esposa de Ivano e mãe de três filhos. Esses são os papéis que a definem e ela está satisfeita com isso. Enquanto seu marido Ivano age como o chefe autoritário da família, Delia encontra consolo em sua amiga Marisa. A família se prepara para o noivado da filha mais velha, Marcella, que vê no casamento uma saída para uma vida melhor. No entanto, a chegada de uma carta misteriosa dá a Delia a coragem para questionar seu destino e de sua família e, talvez, encontrar sua própria liberdade. Entre segredos e reviravoltas, este drama emocionante explora o poder do amor e da escolha em tempos difíceis.

Sala 1 – Sessões:

Quinta (04/07) – 19h40

Sexta (05/07) – 19h30

Sábado (06/07) – 19h30

Domingo (07/07) – 19h40

Terça (09/07) – 19h40

AQUELA SENSAÇÃO QUE O TEMPO DE FAZER ALGO PASSOU (EUA, 2023) – Estreia

Direção: Joanna Arnow // 88 min. // 18 anos // Synapse

Sinopse: Ann enfrenta a estagnação em um relacionamento casual de BDSM, um emprego medíocre e uma família judaica conflituosa. Em meio à alienação crescente, ela luta para encontrar seu caminho nesta comédia autodepreciativa.

Sala 1 – Sessões:

Sábado (06/07) – 17h50

Domingo (07/07) – 17h50

Terça (09/07) – 14h

ORLANDO, MINHA BIOGRAFIA POLÍTICA (França, 2023) – Estreia

Direção: Paul B. Preciado // 98 min. // 14 anos // Filmes do Estação

Sinopse: O filme é uma adaptação de uma das obras mais conceituadas da escritora inglesa Virginia Woolf, “Orlando”, em que o realizador, Paul B. Preciado, dirige uma carta à escritora a dizer que a sua personagem Orlando tornou-se real: o mundo está a tornar-se orlandesco. Preciado convocou um teste de elenco com 25 pessoas diferentes, todas trans e não binárias, para interpretar a personagem fictícia de Virginia Woolf, enquanto narram as suas próprias vidas. O filme reúne ainda uma série de imagens de arquivo sobre pessoas trans de meados do século XX que evocam os verdadeiros Orlandos históricos na sua luta pelo reconhecimento e visibilidade.

Sala 2 – Sessões:

Quinta (04/07) – 17h40

Sexta (05/07) – 20h

Sábado (06/07) – 17h50

Domingo (07/07) – 20h

Terça (09/07) – 19h50

A FLOR DO BURITI (Brasil, 2023) – Estreia

Direção: João Salaviza e Renée Nader Massora // 124 min. // 12 anos // Embaúba

Sinopse: Em 1940, duas crianças do povo indígena Krahô encontram na escuridão da floresta um boi perigosamente perto da sua aldeia. Era o prenúncio de um brutal massacre, perpetrado pelos fazendeiros da região. Em 1969, os filhos dos sobreviventes são coagidos a integrar uma unidade militar, durante a Ditadura brasileira. Hoje, diante de velhas e novas ameaças, os Krahô continuam a caminhar sobre a sua terra sangrada, reinventando a cada dia infinitas formas de resistência.

Sala 2 – Sessões:

Quinta (04/07) – 19h40

Sexta (05/07) – 17h40

Sábado (06/07) – 19h40

Domingo (07/07) – 17h40

Terça (09/07) – 17h30

ASSASSINO POR ACASO (EUA, 2023) – 2ª Semana

Direção: Richard Linklater // 115 min. // 16 anos // Diamond

App acessibilidade: MovieReading

Sinopse: Gary Johnson (Glen Powell) trabalha para a polícia e finge ser um assassino de aluguel para prender aqueles que o contratam, até que ele quebra o protocolo para tentar salvar uma mulher desesperada.

Sala 2 – Sessões:

Sábado (06/07) – 15h40

Domingo (07/07) – 13h40

Quarta (10/07) – 17h30

O ESTRANHO (Brasil, 2023) – 2ª Semana

Direção: Flora Dias e Juruna Mallon // 108 min. // 14 anos // Embaúba

Sinopse: Em um território indígena funciona o maior aeroporto do Brasil. Além das centenas de milhares de passageiros que transitam por ele diariamente, 35 mil trabalhadores permanecem naquele espaço, entre eles a funcionária de pista Alê (Larissa Siqueira). Através de sua vida cotidiana, memórias e histórias de Guarulhos vem à tona e revelam vestígios de um passado perdido em um território em constante transformação.

Sala 1 – Sessões:

Quinta (04/07) – 17h40

Sábado (06/07) – 15h40

Domingo (07/07) – 14h

Terça (09/07) – 17h20

A ORDEM DO TEMPO (Itália, 2023) – Estreia

Direção: Liliana Cavani // 113 min. // 14 anos // Pandora

Sinopse: Um grupo de amigos se encontra todos os anos para celebrar um aniversário. Este ano, em uma vila à beira-mar, algo está diferente: eles descobrem que o mundo vai acabar em apenas algumas horas. Após a notícia bombástica, estranhamente, o tempo que lhes resta parece acelerar e, ao mesmo tempo, permanecer interminável.

Sala 1 – Sessões:

Quinta (04/07) – 13h50

Quarta (10/07) – 15h50

TUDO O QUE VOCÊ PODIA SER (Brasil, 2023) – 3ª Semana

Direção: Ricardo Alves Jr. // 84 min. // 16 anos // Vitrine (Sessão Vitrine Petrobras)

App acessibilidade: PingPlay

Sinopse: É o último dia de Aisha em Belo Horizonte. Acompanhamos a despedida na companhia de suas melhores amigas: Bramma, Igui e Will. Por meio do cotidiano e dos encontros entre as personagens, o filme tece um retrato afetuoso sobre a família que se escolhe constituir através do valor da amizade.

Sala 1 – Sessões:

Quinta (04/07) – 16h

Sexta (05/07) – 15h10

Sábado (06/07) – 14h

Domingo (07/07) – 16h10

Terça (09/07) – 15h40

Quarta (10/07) – 14h

1798 – REVOLTA DOS BÚZIOS (Brasil, 2024) – 3ª Semana

Direção: Antonio Olavo // 73 min. // 10 anos // Abará Audiovisual

Sinopse: Um episódio pouco lembrado da história do Brasil, 1798 – REVOLTA DOS BÚZIOS, do cineasta baiano Antonio Olavo leva às telas a influência iluminista da Revolução Francesa (1789) no planejamento do levante que pretendia derrubar o governo colonial, proclamar a independência e implantar uma República democrática, livre da escravidão, onde haveria, conforme acenavam, “igualdade entre os homens pretos, pardos e brancos”.

Sala 1 – Sessão:

Sexta (05/07) – 13h40

13 SENTIMENTOS (Brasil, 2024) – 4ª Semana

Direção: Daniel Ribeiro // 100 min. // 16 anos // Vitrine

App acessibilidade: PingPlay

Sinopse: “Como o final feliz de um filme perfeito”. É assim que João descreve o fim de seu relacionamento de 10 anos com Hugo. Apesar da separação, eles permanecem amigos bem próximos. No entanto, voltar ao universo dos encontros românticos, usando aplicativos, traz um turbilhão de emoções, mostrando que a vida real não pode ser controlada como um roteiro de filme.

Sala 2 – Sessões:

Quinta (04/07) – 15h40

Sexta (05/07) – 13h40

Domingo (07/07) – 15h50

Quarta (10/07) – 19h50

A FILHA DO PALHAÇO (CE/Brasil, 2023) – 6ª Semana

Direção: Pedro Diogenes // 104 min. // 16 anos // Embaúba

Sinopse: Joana (Lis Sutter), uma adolescente de 14 anos, aparece para passar uma semana com o pai, Renato (Demick Lopes), um humorista que apresenta seus shows em churrascarias, bares e casas noturnas de Fortaleza interpretando a personagem Silvanelly. Apesar de mal se conhecerem, por terem tido pouco contato até então, e de levarem estilos de vidas bem diferentes, pai e filha terão que conviver durante esse período. Juntos vão conhecer o jovem ator Marlon (Jesuíta Barbosa), viver novas experiências, experimentar novos sentimentos e essa semana vai transformar profundamente a vida dos dois.

Sala 2 – Sessões:

Quinta (04/07) – 13h40

Sexta (05/07) – 15h40

Sábado (06/07) – 13h40

Terça (09/07) – 15h30

Quarta (10/07) – 15h30

A HORA DA ESTRELA (Brasil, 1985/2024) – 8ª Semana

Direção: Suzana Amaral // 96 min. // 12 anos // Vitrine

App acessibilidade: PingPlay

Sinopse: Macabéa é uma mulher nordestina que mal tem consciência de existir. Depois de perder uma velha tia, seu único elo com o mundo, ela viaja para o Rio de Janeiro, onde aluga um quarto, se emprega como datilógrafa e gasta suas horas ouvindo a Rádio Relógio. Apaixona-se, então, por Olímpico de Jesus, um metalúrgico nordestino, que logo a trai com uma colega de trabalho. Desesperada, Macabéa consulta uma cartomante que lhe prevê um futuro luminoso, diferente do que a espera.

Sala 2 – Sessões:

Terça (09/07) – 13h40

Quarta (10/07) – 13h40

VERMELHO MONET (Brasil, 2024) – 9ª Semana

Direção: Halder Gomes // 140 min. // 16 anos // Pandora

Sinopse: Johannes Van Almeida (Chico Diaz) é um pintor de mulheres sem aceitação no mercado; obsoleto. Com a visão deteriorada e à beira de um colapso nervoso, encontra em Florence Lizz (Samantha Muller) – uma famosa atriz em crise e insegura na preparação para seu filme mais desafiador – a inspiração para realizar a sua obra prima. Antoinette Lefévre (Maria Fernanda Cândido) é uma influente marchand/connoisseur de arte que fareja o valor de obras de arte quando histórias de inspiração viram obsessão entre pintores e modelos.

Sala 1 – Sessão:

Quarta (10/07) – 18h30

Em breve

‘O Mal Não Existe’ (dir. Ryusuke Hamaguchi)

‘Greice’ (dir. Leonardo Mouramateus)

Serviço:

#518 semana de programação do Cinema do Dragão
Período: 4 a 10 de julho de 2024
Horários diversos a partir das 13h40
Local: Cinema do Dragão, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (Rua Dragão do Mar, 81, Praia de Iracema – Fortaleza – CE)
Ingressos: R$ 8,00 (meia) e R$ 16,00 (inteira), à venda na bilheteria do Cinema do Dragão ou no site Ingresso.com (ingresso.com/cinema/cinema-do-dragao), acrescido de taxa administrativa. Às terças, os ingressos custam R$ 5,00 (meia) e R$ 10,00 (inteira). Sessão Vitrine tem ingressos a R$ 6,00 e R$ 12,00





source
Com informações do Governo do Estado do Ceará

Anúncios

Deixe uma resposta