Nesta sexta-feira (5/7), a Prefeitura de Felixlândia recebeu R$ 34.997.230,30 . O montante é referente a 50% do valor a ser repassado pelo Governo de Minas, para realização da pavimentação de 25 quilômetros da rodovia AMG-930, entre a BR-040 e o distrito de São José do Buriti, região Central de Minas. Outro valor semelhante será remetido ao município quando as obras tiverem em andamento.

A movimentação financeira faz parte do convênio que foi publicado na quarta-feira (3/7), no Diário Oficial Minas Gerais, entre o Governo Mineiro, por meio da Secretária de Infraestrutura, Mobilidade e Parceria, do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) e a Prefeitura de Felixlândia, que prevê o repasse de R$ 69.994.460,59.

A ação faz parte do conjunto de intervenções previstas no Programa de Reparação Socioeconômica da Bacia do Paraopeba. A vigência do convênio é de 840 dias e a obra será executada pela Prefeitura de Felixlândia.

A AMG-930, mesmo fazendo a ligação do distrito com cerca de 800 habitantes, possui um tráfego intenso de veículos de grande porte que transportam toras de eucalipto para serem usadas pela indústria siderúrgica e na produção de celulose.

Em fevereiro do ano passado foi realizado um outro convenio que viabilizou a destinação de R$ 1.595.608,77, como repasse à prefeitura de Felixlândia, para a execução do projeto de pavimentação. Agora que o projeto foi aprovado, a prefeitura poderá executar as obras de pavimentação.

Para o secretário de Infraestrutura, Mobilidade e Parceria, Pedro Bruno, “a rodovia vai incrementar a economia da cidade porque vai impactar no custo do frete para transportar produtos agropecuários, a extração de pedra ardósia e o comércio local”.

De acordo com o secretário adjunto de Planejamento e Gestão e Coordenador do Comitê Pró-Brumadinho, Luis Otávio Milagres de Assis, a obra na AMG-930 representa a legitimidade popular. “Quando foi realizada a consulta popular na cidade de Felixlândia, a pavimentação da rodovia estadual foi priorizada por 80,9% dos cidadãos que participaram do processo consultivo, tendo sido o primeiro subtema mais votado no município”, explicou.

“A pavimentação da rodovia impacta diretamente no ambiente socioeconômico da cidade e do seu distrito porque vai proporcionar uma movimentação mais intensa de produtos, além de acesso mais rápido e seguro a itens como educação e saúde, que são fundamentais para o desenvolvimento humano, concluiu o diretor-geral do DER-MG, Rodrigo Tavares.

Reparação econômica

A bacia do Rio Paraopeba conta com seis obras rodoviárias cujo valor de investimento pode alcançar até R$ 580 milhões. A reparação socioeconômica é uma das frentes do Acordo Judicial, assinado por Governo de Minas, Ministério Público de Minas Gerais, Ministério Público Federal e Defensoria Pública de Minas, e que visa reparar os danos decorrentes do rompimento das barragens da Vale em Brumadinho, que vitimou 272 pessoas e gerou uma série de impactos sociais, ambientais e econômicos na bacia do Rio Paraopeba e em todo o estado.

Estão previstos projetos em diversas áreas como agricultura, infraestrutura, mobilidade e educação. O objetivo é fortalecer os serviços públicos nestes municípios, que foram duramente afetados pela tragédia.

source
Com informações da Agência Minas

Anúncios

Deixe uma resposta