Um relatório lançado esta semana pela Organização Mundial da Saúde, OMS, destaca o desenvolvimento de vacinas inovadoras com potencial de tratar infecções pelo papilomavírus humano, HPV, em adultos e reduzir os riscos de câncer cervical.

Atualmente, existem imunizantes para prevenir, mas não para tratar infecções por HPV, que são a principal causa deste tipo de câncer. Usando os últimos avanços da imunoterapia, no entanto, vacinas “terapêuticas” agora também estão sendo desenvolvidas para eliminar o HPV ou tratar células pré-cancerígenas em pessoas já expostas ao vírus.

90% das mortes em países de renda baixa e média

Para garantir o máximo de benefícios à saúde pública, o relatório da OMS aponta características prioritárias que as vacinas terapêuticas contra o HPV devem ter.

Nesse sentido, a agência pede que os desenvolvedores garantam que esses produtos sejam projetados para serem usados ​​não apenas em contextos mais ricos, mas também em países de baixa e média renda, onde ocorrem mais de 90% das mortes relacionadas ao câncer cervical.

O médico e epidemiologista do Departamento de Saúde Sexual e Reprodutiva e Pesquisa da OMS, Sami Gottlieb, disse que para eliminar o câncer cervical, será essencial “expandir o acesso às intervenções existentes agora”.

Para ele, vacinas preventivas que salvam vidas, exames oportunos e tratamento eficaz, são “todos essenciais para o sucesso”.

Assistentes de laboratório de pesquisa sobre vírus do papiloma humano, HPV, e câncer cervical no Instituto do Câncer da Colômbia, Bogotá

Assistentes de laboratório de pesquisa sobre vírus do papiloma humano, HPV, e câncer cervical no Instituto do Câncer da Colômbia, Bogotá

Estratégia de eliminação do câncer cervical

O representante da OMS afirmou que “as vacinas terapêuticas contra o HPV podem ser uma inovação catalítica para complementar esses esforços, aumentando as opções para milhões de mulheres que já adquiriram o HPV e reduzindo seus riscos de desenvolver câncer”.

Eliminar o câncer cervical, que mata uma mulher a cada 90 segundos, é uma grande iniciativa de saúde pública para a agência da ONU. Os principais objetivos da Iniciativa de Eliminação do Câncer Cervical da OMS são, até 2030:

  • Imunizar 90% das meninas com vacinas preventivas contra o HPV;
  • Rastrear 70% das mulheres com um teste de alto desempenho
  • Tratar 90% das mulheres com células pré-cancerígenas no colo do útero ou câncer cervical.

Uma vacina terapêutica para o HPV poderia complementar essas abordagens existentes. Os tratamentos visam aumentar a resposta imunológica do corpo para que ele possa combater e eliminar cepas de alto risco do vírus ou células anormais “pré-cancerígenas”.

Principal público-alvo

É provável que esta opção seja especialmente benéfica para mulheres adultas que não receberam a imunização contra o HPV antes de contrair o vírus e em países mais pobres, onde milhões de mulheres ainda não têm acesso a exames cervicais eficazes e tratamentos contra o câncer.

Atualmente, há mais de 20 candidatos a vacinas terapêuticas contra o HPV em diferentes estágios de desenvolvimento, com vários em ensaios clínicos.

O novo relatório visa orientar os desenvolvedores de produtos para garantir que seus produtos atendam às necessidades globais de saúde pública e permitir que as vacinas sejam lançadas mais rapidamente se aprovadas.

O documento considera indicações médicas para o uso potencial de tal imunizante, populações-alvo, critérios de segurança e eficácia, bem como considerações práticas, como estratégia de entrega, cronogramas de armazenamento, dosagem e acessibilidade.

source
Com informações da ONU

Anúncios

Deixe uma resposta