Alunos do projeto ‘Cidade da Gente’ visitam Igreja do Baruel

Mais de 60 alunos do 4º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Engenheiro Isaías Martinelli Gama, do Residencial Nova América, visitaram nesta terça-feira (08/10) a Igreja do Baruel, em Palmeiras. A atividade faz parte do projeto “Cidade da Gente”, que é realizada pela Secretaria de Educação de Suzano em parceria com a empresa Suzano S/A. O objetivo é resgatar e abordar a história do município pela percepção e pelo ponto de vista das crianças, por meio de textos que serão publicadas em um livro.

 

A visita ocorreu em dois períodos. Pela manhã, 21 alunos passaram por lá, enquanto outros 42 foram até o local na parte da tarde. Eles conheceram a recém-revitalizada praça Maria Ernestina de Jesus Bianchi e o interior da Igreja do Baruel, mantida pela comunidade católica Nossa Senhora da Piedade. Eles já iniciaram alguns trabalhos em sala de aula e agora dão continuidade com novas pesquisas para depois elaborarem um texto sobre esse marco histórico da cidade.

 

As crianças estavam acompanhadas da diretora da unidade, Rosilene Barbosa do Nascimento, da coordenadora pedagógica Valquíria da Silva Antônio Franco e da professora Ana Lúcia de Jesus. Além da Igreja do Baruel, outros temas serão abordados: migração nordestina, pela Escola Municipal Therezinha Pereira Lima Muzel (Jardim São José); imigração japonesa, pela Escola Municipal Professora Célia Pereira de Lima; e povos indígenas, pela Escola Municipal Adélia de Lima Franco (Jardim Amazonas).

 

“Queremos resgatar a história e também proporcionar que haja uma conexão, um elo, dessas crianças com os locais onde moram e assim estimular a sensação de pertencimento”, destacou o secretário de Educação de Suzano, Leandro Bassini. Ele lembrou que as escolas também vão abordar sobre o rio Tietê. A atividade ainda teve a participação de Américo José Castro, coordenador da Comunidade Nossa Senhora da Piedade, que forneceu informações acerca da história da Igreja do Baruel para os presentes.

 

Projeto

O projeto de educação patrimonial conta com 350 alunos do 4º ano do ensino fundamental das quatro escolas. O trabalho envolve pesquisas bibliográficas e de campo para elaboração de relatos para um livro, tanto em verso quanto em prosa, contando a história da Cidade das Flores. A duração total será de aproximadamente três meses e a previsão é de que o livro seja publicado em 2020, com uma tiragem de 1,7 mil exemplares, que estarão à disposição da comunidade tanto nas bibliotecas públicas quanto nos acervos das unidades da rede municipal.

 

 

Crédito das fotos: Wanderley Costa/Secop Suzano

Deixe uma resposta