Guarda Municipal atende denúncia de violência doméstica no Jardim Rodeio

0
45

A Guarda Municipal de Mogi das Cruzes conduziu, nesta segunda-feira (27/07), um casal para averiguação de uma denúncia de violência doméstica. O caso aconteceu no Jardim Rodeio e será investigado pela Polícia Civil. O trabalho de combate à violência doméstica foi ampliado durante o período de pandemia.

Os guardas municipais faziam o patrulhamento no bairro quando foram acionados por uma mulher e uma criança, que denunciaram que um homem estaria agredindo a companheira e a ameaçando com uma faca, na casa em que eles moram. A viatura foi ao local e encontrou os dois em luta, ambos com arranhões.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, em seu depoimento, a mulher disse que o casal discutiu e foi agredida. Quando ela, disse que iria à delegacia, o companheiro teria a ameaçado com uma faca. Já o homem confirmou a discussão e disse que esbarrou na mulher, que ficou nervosa e o agrediu. Ele negou a ameaça com a faca.
O delegado encaminhou os dois para exames de corpo de delito e o caso será apurado em inquérito policial.

Desde o início das restrições sociais adotadas para o combate à disseminação do novo coronavírus, o trabalho de combate à violência doméstica foi intensificado em Mogi das Cruzes. A Patrulha Maria da Penha ampliou as rondas próximas às residências e locais de trabalhos das vítimas e os contatos telefônicos com as mulheres acompanhadas estão sendo feitos com maior frequência.

Além disso, as demais equipes da corporação estão capacitadas para realizar o atendimento a este tipo de ocorrência, como no caso desta segunda-feira. A Guarda Municipal atende a população pelo telefone 153, que funciona 24 horas por dia.

Crime ambiental

Também nesta segunda-feira (27/07), a Guarda Municipal flagrou uma denúncia de crime ambiental na estrada do Mampo, na Vila Moraes. Um homem, que se identificou como responsável pela área, foi encaminhado para a Delegacia do Meio Ambiente.

Os guardas municipais realizavam uma diligência para averiguar a denúncia quando entraram em uma trilha. No final deste caminho, flagraram um aterro e corte de mata, com 14 homens trabalhando no local. Eles foram abordados e um se apresentou como proprietário e contratante dos demais, mas não apresentou documento de posse da área ou licenças ambientais para a realização dos trabalhos.

Todos os homens que estavam no local foram averiguados e o responsável foi encaminhado à autoridade policial, que registrou um termo circunstanciado.

Deixar uma resposta