Idoso perde os dedos da mão após picada de aranha ‘mega’ venenosa

0
59
Idoso tem os dedos da mão esquerda amputados após picada de aranha — Foto: Arquivo Pessoal

Um zelador de 60 anos teve os dedos da mão esquerda amputados após ser picado por uma aranha enquanto limpava o deck da piscina de casa, em Bertioga, no litoral de São Paulo. A suspeita é que ele tenha sido picado por uma aranha-marrom (Loxosceles) – uma das mais perigosas do país, conhecida pela picada necrosante.

A picada ocorreu no dia 10 de julho na casa da família, no bairro Vista Linda, mas ele não notou na hora. Depois, ele lembrou ter visto uma aranha pequena enquanto fazia limpeza na casa. Ao retornar ao Hospital de Bertioga no dia 14 de julho, os médicos viram que o problema era grave e ele foi internado. Na ocasião, ele já estava com os dedos necrosados.

Dois dias depois, ele foi transferido para o Hospital Santo Amaro, em Guarujá, e foi submetido a uma cirurgia para amputar os cinco dedos da mão esquerda. O idoso chegou a ficar internado durante oito dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e recebeu alta na última sexta-feira (30), após passar por tratamento com antibiótico, segundo o hospital.

“Agora ele está bem, graças a Deus. Mas vai ter que continuar fazendo todo o procedimento de limpeza e curativos em casa. Uma enfermeira vai fazer isso. Com o tempo iremos ver como vai reagindo porque o braço dele está aberto, por isso o curativo”, diz a filha do zelador.

Aranha-marrom

Em 2017, foram registrados 7.992 casos de acidentes com aranhas-marrons em todo o país, segundo o levantamento mais recente disponibilizado pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde.

O que não fazer:

  • Não fazer torniquete ou garrote (tira de pano ou outro material para barrar a circulação do sangue);
  • Não furar, cortar, queimar, espremer ou fazer sucção no local da ferida;
  • Não aplicar folhas, pó de café ou terra para não provocar infecções;
  • Não ingerir bebida alcoólica, querosene, ou fumo.

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe uma resposta