Maioria dos policiais denunciados no esquema atuam na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) em São José dos Campos — Foto: Reprodução/ Street View

A Justiça condenou mais seis policiais civis por envolvimento com tráfico de drogas na zona sul de São José dos Campos. A denúncia do Ministério Público, que apontou elo de 30 policiais com o crime, foi desmembrada em seis processos, sendo que 15 policiais civis , uma advogada e três traficantes foram condenados e outros dez policiais civis foram absolvidos.

A decisão que condena mais seis policiais civis é assinada pelo juiz Eduardo de França Helene no último dia 19 de junho. As condenações são por associação para o tráfico de drogas e corrupção passiva. As penas chegam a oito anos de prisão. Todos eles também foram condenados à perda da função pública.

Arnaldo Célio de Paiva, Oswaldo Pinho Guimarães, Luis Eduardo de Oliveira, Eleazar Simões Ladislau, Marcelo Luís Silva e Luis Fernando Vinhas negam as acusações (leia mais abaixo). Todos eles poderão responder em liberdade aos recursos a serem interpostos. Luiz Fernando Vinhas é o único preso, em cumprimento de pena por outra condenação.

No mesmo processo, a Justiça absolveu Accacio Rangel de França Neto e Ronaldo Arruda Guerra das acusações.

Na decisão, o magistrado considerou que os policiais civis usaram do cargo público para solicitar e receber vantagens indevidas e que atuaram para manutenção de atividades da associação criminosa voltada para o tráfico de drogas.

Para ele, há um conjunto de elementos para a condenação dos acusados. “As denuncias anônimas somam-se às aparições nominais dos réus em contabilidades da venda de drogas apreendidas com traficantes, em menções expressas aos nomes ou aos comprovados vulgos de alguns dos acusados em conversas interceptadas, em anotações em arquivo de computador encontrado na casa da companheira de Lucio [traficante], em documento de inteligência elaborado pela Corregedoria da Policia Civil, confirmado em Juízo pela Delegada que presidiu o ato, bem como em prova oral produzida sob o crivo do contraditório”, argumentou na decisão.

Na última semana, outros quatro policiais civis também foram condenados pelos mesmos crimes. As penas eram de seis anos e sete meses de prisão e perda do cargo público. Eles negam participação nos crimes.

Deixe uma resposta