Presidente da Câmara de Suzano fez discurso emotivo sobre o caso do menino Miguel

0
119

Ele revelou que seu filho, o ex-vereador Marsal Rosa, era padrinho do menino e que por isso tem muito contato com toda família da criança. “Houve muito aproveitadores nas redes sociais que quiseram se promover numa situação de extrema tristeza.

O presidente do Legislativo, Joaquim Rosa (PL), fez um discurso muito emotivo em relação a morte do menino Miguel, de 9 anos, que aconteceu na última sexta-feira. Ele revelou que seu filho, o ex-vereador Marsal Rosa, era padrinho do menino e que por isso tem muito contato com toda família da criança. “Houve muito aproveitadores nas redes sociais que quiseram se promover numa situação de extrema tristeza. Falo do fundo do coração, porque só quem perdeu um filho sabe a dor que passa um pai e uma mãe quando perde um filho. Essa criança foi objeto de promoção eleitoral. Sinto no meu coração não só a perda do Miguel, mas a perda do Marsal”, discursou com um tom de voz que misturou tristeza e indignação.

O garoto Miguel, de 9 anos, estava internado no Pronto-Socorro (PS) de Suzano. Chegou a ser transferido para um Hospital de Guarulhos, mas morreu na última sexta-feira (31). Ele era portador de artrogripose – doença congênita rara que se caracteriza por múltiplas contraturas articulares e pode incluir fraqueza muscular e fibrose.

Segundo informações divulgadas pela Prefeitura de Suzano, a criança deu entrada no dia 29 de julho na Pediatria do Pronto-Socorro de Suzano. No momento da admissão, o menino vinha com histórico de 4 dias de coriza, tosse e teve piora no quadro de saúde. O acolhimento inicial foi feito na sala de emergência com monitorização de saturação de oxigênio, sob cuidados da equipe pediátrica. Além disso, a administração municipal ressaltou que todos os esforços da equipe pediátrica do Pronto-Socorro Municipal foram feitos para salvar a vida da criança. “Infelizmente, o quadro grave atual, associado ao histórico clínico da criança, foram responsáveis pela evolução rápida de piora com necessidade de suporte de UTI Pediátrica. A criança foi transferida assim que a vaga foi liberada para essa unidade específica de cuidados intensivos”.

Deixar uma resposta