Turma da sétima edição homenageou a merendeira heroína da Escola Estadual Raul Brasil


O Serviço de Ação Social e Projetos Especiais (Saspe) concluiu nesta terça-feira (03/12) mais uma edição do curso de Promotoras Legais Populares (PLPs), desta vez com 52 formandas. Durante cerimônia, a turma homenageou a servidora Silmara Moraes, merendeira elevada a status de heroína nacional após salvar cerca de 60 adolescentes durante o ataque à Escola Estadual Professor Raul Brasil, em março deste ano. A capacitação encerra a sétima edição com o dobro de alunas em relação ao ano anterior.

A noite de terça-feira no Anfiteatro Orlando Digenova, no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi, foi especial para as formandas, que finalmente pegaram o certificado depois de oito meses de estudos. A dirigente do Saspe e madrinha do curso, a primeira-dama Larissa Ashiuchi, deixou um recado às mulheres: “Estou muito orgulhosa e agradeço a dedicação de todas, que puderam se capacitar por meio da informação e reconhecer seus direitos, assim ajudando também outras suzanenses”.

Larissa ainda relembrou que o projeto foi resgatado pela administração municipal depois de quase 11 anos parado. “Não poderíamos deixar de retomar essa iniciativa tão importante à sociedade. Isso não seria possível sem as coordenadoras voluntárias, que não medem esforços em trabalhar e motivar a participação popular”, agradeceu. A dirigente finalizou já estendendo convite à adesão do curso em 2020.
A coordenadora-geral Sandra Lopes Nogueira explicou brevemente o propósito jurídico das aulas e reforçou a luta pelos direitos e pela igualdade de gênero. “A partir de agora, cada formanda vai repensar seus direitos e a violação deles dentro de sua própria realidade, estando capacitadas, inclusive, para atuar em diferentes áreas, como na atenção à saúde, à criança, ao idoso, aos deficientes e, sobretudo, pelo fim da violência contra a mulher. Somente assim vamos transformar nossa cidade e o mundo”, disse.

A coordenadora-geral Sandra Lopes Nogueira explicou brevemente o propósito jurídico das aulas e reforçou a luta pelos direitos e pela igualdade de gênero. “A partir de agora, cada formanda vai repensar seus direitos e a violação deles dentro de sua própria realidade, estando capacitadas, inclusive, para atuar em diferentes áreas, como na atenção à saúde, à criança, ao idoso, aos deficientes e, sobretudo, pelo fim da violência contra a mulher. Somente assim vamos transformar nossa cidade e o mundo”, disse.

Aplaudida em pé e visivelmente emocionada, a servidora Silmara agradeceu a homenagem como nome de turma desta edição. “Represento aqui Sandra e Elisete, merendeiras que também me ajudaram a acolher os alunos durante o ataque. Represento todos que estavam na escola naquele momento. Quero apenas expressar gratidão, principalmente a Deus, por me permitir estar aqui hoje. Desejo a todas as mulheres uma grande caminhada, pois agora é hora de continuar”, disse.


O evento ainda foi prestigiado por palestrantes e apoiadores do projeto na cidade, entre eles a promotora de eventos Ana Rosa Augusto, o professor Ricardo Ferreira Santos e os advogados Luiz Augusto de Farias, Kelly Campos e Patrícia Braga, sendo a última também paraninfa de turma.

Crédito das fotos: Irineu Junior/Secop Suzano

Deixe uma resposta