VIGILÂNCIA EM SÁUDE (ZOONOSES) DA ILHA ANUNCIA CHIPAGEM E SERVIÇO 24H DE APREENSÃO E RESGATE DE ANIMAIS DE MÉDIO E GRANDE PORTE SOLTOS NAS RUAS

1
194

Ilha Comprida – Em reunião com proprietários de animais de médio e grande porte , na tarde de quarta 3/07, na Prefeitura, a diretora do Departamento de Saúde da Ilha Comprida, Vanessa Cristina Gimenes de Melo, anunciou a ronda preventiva e o serviço de resgate e apreensão dos animais em situação de maus tratos ou soltos nas ruas e avenidas do município. Também reforçou a obrigatoriedade da chipagem de 100% dos animais.
“O objetivo desse trabalho é promovermos a segurança no trânsito com nenhum animal solto nas vias públicas, ao mesmo tempo que representa o investimento no bem estar animal , já que muitos proprietários mantém seus animais soltos, expostos ao sol, chuva, sem alimento e água, configurando maus tratos”, afirmou: “Não queremos prejudicar ninguém e nem impedir a criação desses animais, mas a posse precisa ser responsável. Contamos com apoio de todos”.
Para a criação de animais de médio e grande porte no município, é necessário área cercada, já que mantê-los em cordas – de acordo com legislação nacional – é proibido. “Com cordas, eles ficam vulneráveis, podem escapar, podem se enrolar e se enforcar, como aconteceu recentemente, e podem causar acidentes , como também aconteceu recentemente e envolveu uma pessoa cadeirante”, explicou a coordenadora da Vigilância em Saúde, Silvia da Silva Rios.
Atendimento 24 h
O novo serviço – que começou na segunda 01/07 – , atende 24 h pelo telefone ou whats (13) 997347251 e obedece à determinação legal das Leis 1381 (2017) , 1496 (2018) que disciplinam a posse de animais de médio e grande porte no município (bovinos, equinos, ovinos, caprinos e suínos) , além de leis estaduais e nacionais que versam sobre maus tratos.
Segundo Vanessa, todos os animais devem ser obrigatoriamente chipados pela Vigilância. Para acionar o serviço , o telefone é (13) 3842 3721. “A chipagem – feita por nosso médico veterinário – é essencial para , em caso de problemas, identificarmos os proprietários , já que legalmente são os responsáveis por acidentes provocados pelos animais nas vias públicas”, explicou.
A ação na área de zoonoses conta com parceria dos Departamentos de Fiscalização e Trânsito. Os animais apreendidos nas vias públicas ou em situação de maus tratos serão encaminhados para as baias do Serviço de Zoonoses . Os proprietários terão prazo de três dias ( podendo chegar a dez dias) para retirá-los , mediante pagamento de multa, estadia do animal, consulta veterinária e tratamento. Após esse prazo, os animais entrarão para adoção.

Atleta da Escola Municipal de Surf, Natália Gerena, comemorou a prata, em São Sebastião

1 COMENTÁRIO

Deixar uma resposta