Igreja faz evento masculino com stripper e pastor convidado reprova: ‘Espírito de Jezabel’

0
O pastor Mark Driscoll se envolveu em uma nova polêmica ao reprovar a presença de um stripper em um evento voltado ao público masculino em uma igreja. Ele havia sido convidado a pregar e depois de afirmar que o evento havia cedido ao espírito de Jezabel, foi retirado do palco.

O evento Stronger Men’s (“homens mais fortes”, em tradução livre) foi realizado nos dias 11 e 12 de abril na megaigreja James River Church, em Springfield, estado do Missouri (EUA). O pastor da igreja é John Lindell, um conhecido líder evangélico no país.

Antes de Driscoll (que lidera a Trinity Church em Scottsdale, Arizona) subir ao palco, um artista conhecido por ter trabalhado como stripper em boates voltadas ao público feminino e homossexual, chamado Alex Magala, se apresentou com uma performance em que engolia espadas.

Driscoll, conhecido por seu temperamento forte e franqueza, reprovou a performance do artista no evento assim que recebeu oportunidade, dando a entender que não havia sido informado que ele pregaria logo após a apresentação:

“Vamos falar sobre como ser um Elias e como lidar com a Jezabel comum. Mas deixe-me fazer isso”, disse Driscoll. “Estou acordado desde 1h da manhã. A razão pela qual estou rouco é que tenho orado por vocês e meu coração está muito pesado por vocês. Quero ter muito cuidado com isso, e não é isso que quero dizer, mas o espírito de Jezabel já esteve aqui. O espírito Jezabel abriu nosso evento. Isto não é uma repreensão e uma correção de ninguém; isso é uma observação”, disse o pastor.

“Antes que a palavra de Deus fosse aberta, havia uma plataforma. Era um altar. Nele havia um poste, um Asherah. A mesma coisa que se usa em um clube de strip para mulheres que têm o espírito de Jezabel para seduzir homens. Na frente disso estava um homem que arrancou a camisa, como uma mulher faz na frente de um poste em uma boate de strip”, continuou.

Em seguida, ele foi interrompido pelo pastor da igreja, John Lindell, que afirmou que Driscoll estava “fora da linha”. Como o público reagiu mal à remoção do pregador convidado, Driscoll acabou sendo levado de volta para continuar sua mensagem.

Após o nítido constrangimento, Driscoll admitiu que não estava confortável com o que havia sido apresentado no local e que reagiu mal diante do “momento mais estranho na história de qualquer evento masculino”.

De acordo com informações do portal The Christian Post, Driscoll referiu-se a Lindell como um “bom pastor e pai espiritual” que esteve ao lado dele e de sua família durante os períodos mais difíceis de sua vida no passado.

Por sua vez, Lindell tratou de colocar panos quentes na polêmica, e afirmou que Driscoll “é uma voz profética para a nossa geração”, comparando-o a João Batista. “Nada no que foi dito muda isso. E Mark e eu conversamos. Saímos para um lugar onde poderíamos ficar sozinhos para conversar e reafirmamos nossa amizade. E Mark, eu quero que você saiba. Você é um presente para o Reino. Você é um presente para James River”, finalizou.

Em seu livro New Days, Old Demons, Driscoll apresenta um “estudo profético sobre sexo, gênero, política woke e como o cristianismo progressista é apenas uma reformulação da marca do paganismo antigo”, e afirma que “os mesmos demônios que estavam ativos nos dias de Elias estão ativos hoje castrando os homens, mutilando as crianças, fechando as igrejas e silenciando os professores da Bíblia”.


source
Com informações do Portal Gospel Mais

Anúncios

Deixe uma resposta